Pular para o conteúdo principal

16/11 - Rumo a Ushuaia, mas incompletos

Tem momentos em que temos que aprender a agir com a razão!!! É muito difícil pensar dessa forma, mas é necessário!

Como descrito no post anterior, no dia 15 tivemos muitos problemas, o Carlos e o Kpot estava a mais de 300 kms de nós e estávamos sem conseguir comunicação com eles. Pra piorar, o Kpot havia perdido o celular quando estávamos em Puerto Pirámides, então através dos amigos apenas sabíamos que eles estavam bem, só.

Em San Sebastian não tinha nada, e estávamos a 10 kms da fronteira, onde teria gasolina e internet. Partimos cedo pra lá, saindo do chalé num frio lascado, mas ansiosos por procurar notícias.

Mais uma fronteira...


E uma feliz surpresa, conhecemos um casal de ingleses (se não me engano) que estavam partindo para o Alaska, um sonho tbm... :-)


 

Logo após a fronteira tinha um posto e um hotel com wi-fi, fomos imediatamente pedir a senha na maior cara de pau kkkk e ficamos lá, comprei um alfajor só pra não abusar demais deles rsrs. Por lá, recebemos finalmente os recados do Carlos e do Kpot, eles já haviam se encontrado, e ficariam por lá pra resolver o problema. Eles sugeriram que partíssemos e os esperassemos em Ushuaia. Pela minha vontade, ficaríamos nesse hotel mesmo, na fronteira, esperando eles. Se pudesse, eu queria era ter voltado... :'( , mas lembram da parte da razão? Ficar ali esperando não ajudaria em nada, só serviria para termos um dia perdido e angustiante, então, juntos, decidimos que realmente iríamos seguir, e esperá-los no hostel, já em Ushuaia.



O caminho é lindo, vários picos nevados...


...lagos  com uma cor deslumbrante...


... mas praticamente não tiramos fotos, queríamos rodar... rodar... e chegar logo. Sinceramente, eu já estava cansada de tantas retas, tanto vento, tanto frio... as mãos doíam por estarem tão geladas, uma.. duas.. tres luvas... e ainda as plásticas cirúrgicas... nada protegia, nada era o suficiente. Nas viagens anteriores sempre escrevia que estávamos onde desejávamos estar, e este dia foi o primeiro dia que sinceramente não era o que eu queria. Foi muito ruim (e falo por mim que foi triste) entrarmos só nos três na cidade, não teve foto do grupo no portal e nem mesmo o abraço de conquista que o afilhado e eu já demos em tantos lugares.

Um motociclista nos levou até o Hostel Los Cormoranes, em Ushuaia. Eu não queria ficar no hostel, queria sair pra fazer a hora passar... então mesmo sozinha fui dar uma volta e chegar na famosa placa.



Como muitos sabiam dos problemas que tivemos, gravei uma breve mensagem sobre ter chegado em Ushuaia. Antes de gravar fiquei um tempão parada em frente a placa só observando cada detalhe, olhava em volta...e aos poucos, mesmo querendo que meus amigos estivessem lá, saiu um sorriso do meu rosto, porque esse objetivo foi conquistado.



No meu quarto, tenho a seguinte frase colada na parede:

"A vida é curta
quebre as regrras
perdoe rápido
beije lentamente
ame verdadeiramente
ria descontroladamente
e nunca se arrependa
de nada que lhe fez
sorrir"

Essa era minha sensação, não foi fácil, ainda não estávamos completos... mas esse breve instante me fez sorrir.

Agoooora é esperar o pessoal chegar e começar a curtição, bora para o próximo dia?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Um tombo que não estava nos planos =/

Bem, já deu pra perceber que desafio pouco é para os fracos né, nossa viagem está levando essa palavra muito a sério rsrs. Antes de mais nada quero deixar claro que estou bem, mesmo !!! Não avisei nada antes para não preocupar ninguém, só estou colocando no blog porque faz parte do Giro né rsrs Depois de nos encantarmos com a estrada incrível de Puerto Maldonado a Cusco, faltando uns 100 kms para o destino final sofri um acidente. Numa curva simples a roda dianteira escorregou na faixa central e fui direto pro guardrail. Lembro que quando estava caindo só ficava pensando em me encolher pra tentar passar por baixo do guardrail, estava sentindo ir deslizando pelo asfalto por alguns metros e ouvindo o barulho da moto tbm no chão. O Carlos fala que dei uma pancada  nos ferros e a moto passou a meio metro de me atropelar, mas felizmente o pior não aconteceu. Só me dei conta quando estava já no canteiro, deitada e com muita dor no lado direito. tirei o capacete e em poucos segu

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo. Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam. Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes... Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda! Em Puerto Madr

Vlog Rumo aos Sonhos - Episódio 010 e 011 - Um bate papo sobre a Lander

Não é todo dia que encontramos uma moto com quase 270 mil kms rodados, e essa é a atual quilometragem da minha Lander. Peguei a motoca zero km no dia 25/01/2014, meu objetivo era ter uma moto novinha para a primeira viagem para o exterior, o Giro Latino, que já está registrado aqui no blog. Desde então tivemos a chance de percorrer juntas 9 países aqui da América Latina, sem contar a parceria dia a dia nas idas ao trabalho, faculdade e muito mais. Já foram muitos kms de alegria, e fico na expectativa para que venham muito mais! Devido essa alta quilometragem, muitos me perguntam sobre as manutenções que faço, se já fiz o motor...então para esclarecer todas as dúvidas, decidi fazer dois vídeos relacionados. O Episódio 010 respondo a clássica pergunta se já fiz o motor da Lander, e sim, já fiz, com 176 mil kms. Quando tinha 100 mil kms, o eixo da rosca do pinhão espanou e rodei 76 mil kms com o pinhão soldado. Para resolver o problema de uma vez por todas, fizemos o evento do QG da