Pular para o conteúdo principal

09/11 - de Buenos Aires a Adolfo Gonzales Chaves

Uma frase da música O Viajante, do Forfun, diz assim:

"Vou ver o mundo tendo o mundo como anfitrião"


Uma das coisas mais gostosas do mundo é planejar uma viagem, e ao mesmo tempo, é muito legal tbm estar com o roteiro aberto e se surpreender com o caminho, e a cidade de Adolfo Gonzales Chaves nos fez ter essa sensação.

Bem, na segunda feira de manhã, fomos novamente ao centro de Buenos Aires para fazer câmbio e finalmente partir. Encontramos uma casa de câmbio num pequeno shopping, o que foi bom, visto que pagavam o mesmo valor que o Banco e sem fila. Trocamos R$ 1 a 3,60 pesos argentinos. Não sabíamos qto estaria o peso mais pra baixo, então todos nós trocamos a maior parte do dinheiro neste momento.


Ainda bem que havia carregado o trajeto no gps do celular, senão a falta de informações e placas teria dado muuuito trabalho. Pegamos a Ruta Nacional 3 sem surpresas, e logo começaram as infinitas retas. Por toda a rodovia, a cada 150 - 200 kms em média tem postos da rede YPF , e o mais legal é que quase todos tem wi-fi, chegávamos e nossa primeira pergunta era a senha rsrs.

Depois de alguns kms precisamos colocar a capa de chuva, e realmente pegamos A CHUVA, a minha capa estava meio velhinha e rasgada por conta da mordida de um cachorro rsrs fui remendando ao longo do caminho. Tds olhavam inconformados pra mim, mas fazer o que... era a única que eu tinha no momento, e não queria gastar com uma nova :D


No final da tarde, decidimos entrar na primeira cidade que encontrássemos antes de anoitecer. É curioso que da rodovia não da pra ter noção do tamanho das cidades, pois a maioria passa realmente por fora. Paramos num lugar de informações turísticas e encontramos um senhor motociclista muito gente boa, que nos levou até um hotel e deu várias dicas do local.



Adolfo Gonzales Chaves é a "Capital Nacional del Vuelo a Vela", super tranquila e linda. Numa farmácia bem bacana encontramos dois senhores que são pilotos


e nos contaram muitas histórias bacanas, maaaaassss.....


...uma das coisas que menos vamos esquecer foi a janta, com certeza nossa melhor refeição da Argentina :D rsrsrs #Huuummmmm


Realmente, apesar da passagem rápida, voltamos com boas recordações dessa cidade, uma feliz descoberta, sensação que ser motociclista sempre nos presenteia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Um tombo que não estava nos planos =/

Bem, já deu pra perceber que desafio pouco é para os fracos né, nossa viagem está levando essa palavra muito a sério rsrs. Antes de mais nada quero deixar claro que estou bem, mesmo !!! Não avisei nada antes para não preocupar ninguém, só estou colocando no blog porque faz parte do Giro né rsrs Depois de nos encantarmos com a estrada incrível de Puerto Maldonado a Cusco, faltando uns 100 kms para o destino final sofri um acidente. Numa curva simples a roda dianteira escorregou na faixa central e fui direto pro guardrail. Lembro que quando estava caindo só ficava pensando em me encolher pra tentar passar por baixo do guardrail, estava sentindo ir deslizando pelo asfalto por alguns metros e ouvindo o barulho da moto tbm no chão. O Carlos fala que dei uma pancada  nos ferros e a moto passou a meio metro de me atropelar, mas felizmente o pior não aconteceu. Só me dei conta quando estava já no canteiro, deitada e com muita dor no lado direito. tirei o capacete e em poucos segu

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita! Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo. Mas senta que lá vem história... No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apres

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo. Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam. Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes... Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda! Em Puerto Madr