Pular para o conteúdo principal

07/11 - De Colônia Del Sacramento UY a Buenos Aires AR

Voltando aos relatos de viagem...finalmente começaram os relatos da Argentina, então... senta que lá vem a história ;-)

No dia 07 de Novembro, partimos do Uruguai sob um dia lindo de sol, perfeito para este início de aventura.



Devido os altos valores do Buquebus , optamos por entrar na Argentina por rodovia. Há uma ponte entre Fray Bentos UY e Gualeguaychú AR. Acho que foi uma boa decisão, entramos na Argentina do jeito que mais gostamos, de moto, com uma ponte linda, e muitas histórias ;-)


As estradas no Uruguai são excelentes, apenas um pequeno trecho próximo a Palmitas não estava com o asfalto tão bom, mas com certeza não tira o brilho das rodovias deste país.


Não havia muitos pontos de paradas na rodovia, então entramos em Fray Bentos  pra ver a cotação do câmbio, e aproveitamos para fazer um lanchinho no lugar do almoço rsrs

Achamos uma padaria/rotisseria na avenida principal que tinha tortas deliciosas, e algumas geladeiras de doces que nos fez gastar praticamente todo o peso uruguaio que havia sobrado, e acreditem, isso não foi uma boa coisa rsrs.


Achei a cotação no Uruguai muito baixa, então não trocamos os reais que havíamos levado, preferimos trocar na própria Argentina.

Os trâmites na Aduana foram tranquilos, o de sempre... habilitação, passaporte, documento da moto, carta verde...


E todos estávamos muito animados e no clima dos "hermanos" \o/


...maaaaaas, lembram a parte que gastamos todo o nosso dinheiro? Pois é, ficamos surpresos com o fato de que é preciso pagar pedágio para entrar na Argentina, pois é, e para o nosso azar não aceitam reais. Felizmente o Gerson ainda tinha um pouco de pesos uruguaios, e foi a nossa salvação rsrs


Juntamos cada centavo de todos, não foi fácil... mas o suficiente rsrs


Depois dessa pagação de mico, finalmente Argentina!!!






 

No final da ponte havia uma construção em que achei que nessa parte é que daríamos a entrada na Argentina, mas só depois de algumas discussões é que o percebemos que já havíamos dado a entrada e que deveríamos partir.




Não sabia o que esperar de Gualeguaychú, e estava preocupada com o combustível, mas felizmente é uma cidade estruturada, onde conseguimos abastecer e fazer câmbio.

Num sábado a tarde, o único lugar que encontramos para trocar os reais foi numa loja que vende e compra ouro, fizemos o câmbio a R$ 3,20, algo que não esperávamos =/ muito baixo


E também nos surpreendemos com o preço da gasolina,  a 15.5 pesos o litro, a R$3,20 no câmbio pagamos o equivalente a R$ 4, 84 litro.




A estrada para Buenos Aires foi bastante entediante, começamos a conviver com retas... retas... e mais retas...


E como toda cidade grande, andar em Buenos Aires não é fácil, principalmente sem GPS, trânsito caótico ¬¬'



Para o nosso azar e falta de conhecimento, chegamos em Buenos Aires no dia da Parada Gay, rodamos muuuuito para achar hotel, olhem só a cara de animados dos rapazes rsrsrs


Ficamos no hotel Constitución Palace Hotel, que pra falar a verdade não recomendo pra ninguém!!! Pelo menos tinha uma vista legal, só!




O hotel não tem estacionamento, e estávamos tão cansados que ninguém queria levar a moto em outra quadra para guardar. Pagamos caro para um picareta olhar durante a noite... mas amanhã conto o resto, para mostrar o porque do picareta ¬¬'

Bem, este dia foi de chão...chão...e chão... então nada muito surpreendente para escrever, mas as experiências na Argentina foram fantásticas ;-) a continuação dos relatos valerão a pena ;-)

Comentários

  1. Felicidade é isso! Momentos, lembranças, ir buscar seus sonhos na certeza da parceria e do companheirismo, do carinho e da amizade. Descobrir, depois de cada paisagem diferente, que existimos para isso! Isso que renova a vontade de planejar a próxima, esperando fazer simples todos os desafios e perrengues. Fantásticas lembranças q estarão sempre comigo graças a vc Dinda e a todos do grupo!! Valeu mesmo!!! E VQV!!!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Um tombo que não estava nos planos =/

Bem, já deu pra perceber que desafio pouco é para os fracos né, nossa viagem está levando essa palavra muito a sério rsrs. Antes de mais nada quero deixar claro que estou bem, mesmo !!! Não avisei nada antes para não preocupar ninguém, só estou colocando no blog porque faz parte do Giro né rsrs Depois de nos encantarmos com a estrada incrível de Puerto Maldonado a Cusco, faltando uns 100 kms para o destino final sofri um acidente. Numa curva simples a roda dianteira escorregou na faixa central e fui direto pro guardrail. Lembro que quando estava caindo só ficava pensando em me encolher pra tentar passar por baixo do guardrail, estava sentindo ir deslizando pelo asfalto por alguns metros e ouvindo o barulho da moto tbm no chão. O Carlos fala que dei uma pancada  nos ferros e a moto passou a meio metro de me atropelar, mas felizmente o pior não aconteceu. Só me dei conta quando estava já no canteiro, deitada e com muita dor no lado direito. tirei o capacete e em poucos segu

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo. Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam. Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes... Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda! Em Puerto Madr

Vlog Rumo aos Sonhos - Episódio 010 e 011 - Um bate papo sobre a Lander

Não é todo dia que encontramos uma moto com quase 270 mil kms rodados, e essa é a atual quilometragem da minha Lander. Peguei a motoca zero km no dia 25/01/2014, meu objetivo era ter uma moto novinha para a primeira viagem para o exterior, o Giro Latino, que já está registrado aqui no blog. Desde então tivemos a chance de percorrer juntas 9 países aqui da América Latina, sem contar a parceria dia a dia nas idas ao trabalho, faculdade e muito mais. Já foram muitos kms de alegria, e fico na expectativa para que venham muito mais! Devido essa alta quilometragem, muitos me perguntam sobre as manutenções que faço, se já fiz o motor...então para esclarecer todas as dúvidas, decidi fazer dois vídeos relacionados. O Episódio 010 respondo a clássica pergunta se já fiz o motor da Lander, e sim, já fiz, com 176 mil kms. Quando tinha 100 mil kms, o eixo da rosca do pinhão espanou e rodei 76 mil kms com o pinhão soldado. Para resolver o problema de uma vez por todas, fizemos o evento do QG da