Pular para o conteúdo principal

08/03 - De Puerto Maldonado a Cusco, será?

Os Fazedores de Chuva tem uma frase que constantemente me faz refletir:

"Qualquer um pode fazer, porém, poucos o fazem..."

Bem, a interação das postagens sobre a viagem com tantos amigos acompanhando e torcendo está sendo o máximo, é incrível ler cada incentivo, elogio, zoação, pergunta... enfim, realmente estamos com todos na garupa e nos pensamentos. Mas sabe... o que mais me encanta é saber que muitos estão se sentindo motivados a tbm se aventurar por aí, não temos a pretensão de ser exemplo, de em qualquer momento contar vantagem ou algo do tipo, somos apenas motociclistas, com motos simples e pequenas que desejam mais do que aceitar as verdades e imagens transmitidas pelos outros, mas desejamos descobrir tudo com nossos próprios olhos e emoção, então desde já muito obrigada a todos por tudo, mesmo!!!


Mas chega de baba ovo... rsrs

Saímos cedo de Puerto Maldonado porque sabíamos que a estrada para Cusco seria desafiadora, linda e aguardada.


Uma coisa interessante que achei na estrada foi a estrutura totalmente diferente para os viajantes. Nada de lojas de conveniência em postos de gasolina, só vimos essa acima e nada mais de placas informando quantos kms faltam, nada de cidades estruturadas pelo caminho para qualquer necessidade.... nada de nada rsrs

Uma das poucas opções existentes é a parada turística logo no começo da rodovia.


Eu já esperava encontrar quase um Graal ou Frango Assado... mas a situação foi um pouco diferente.


Só um pouco :-P rsrsrs


Durante todo o trajeto passamos por algumas áreas urbanas, mas tudo muito simples e precário, vários distritos, um atrás do outro... e quase todos do mesmo jeito.



Tivemos apenas um desafio: Abastecer a Teneré!! Isso pq o tanque possui esse "bloqueio" e não permitia que a bomba entrasse mais a fundo devido a largura do bico, com a pressão mais vazava gasolina do que abastecia, o jeito foi  o Carlos encher o meu galão e só então transferir o combustível.


Almoçamos em Mazuco, tudo muito simples mas foi o mais limpinho que aparecia rsrs


O almoço estava ótimo *-* e turista é uma droga né, tira foto de tudo :-P . Uma coisa interessante é que sempre, mesmo nos lugares mais simples, trazem uma sopa de entrada e depois o prato principal.


O tamanho do prato da criança :-P repor as energias né Boni rsrsrs

Pouco depois fomos parados pela primeira vez, mas foi só apresentar o SOAT e td ocorreu bem. Tinha uma molecada vendendo geladinho por lá, vieram logo puxar assunto rsrs perguntaram de futebol, quem eu conhecia como jogador e eles mesmo citaram os conhecidos: Neymar, Ronaldo...


Muito fofos e curtiram a lembrança do nosso adesivo :-)


A partir de Mazuco a estrada ficou cada hora mais linda, daqui pra frente não precisa de palavras, quem tem a "alma inquieta" vai entender nossa emoção *-*










Os "derrumbres" da rodovia, realmente desafiadores.














É de tirar o fôlego, literalmente!!!

Nosso objetivo para esse dia era chegar em Cusco, mas já deu pra perceber que desafio é praticamente sinônimo dessa viagem né, e claro, o dia não poderia ser diferente.

Senta que lá vem história no próximo post.... rsrs e será dolorido :-P rsrsrs

Comentários

  1. Adorei !, odeio novela,... mas essa eu não perco um capítulo!

    ResponderExcluir
  2. Estou me sentindo na garupa. Legal, já disse isso, minha próxima viagem será esta, descreva tudo detalhadinho. Boa viagem

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Um tombo que não estava nos planos =/

Bem, já deu pra perceber que desafio pouco é para os fracos né, nossa viagem está levando essa palavra muito a sério rsrs. Antes de mais nada quero deixar claro que estou bem, mesmo !!! Não avisei nada antes para não preocupar ninguém, só estou colocando no blog porque faz parte do Giro né rsrs Depois de nos encantarmos com a estrada incrível de Puerto Maldonado a Cusco, faltando uns 100 kms para o destino final sofri um acidente. Numa curva simples a roda dianteira escorregou na faixa central e fui direto pro guardrail. Lembro que quando estava caindo só ficava pensando em me encolher pra tentar passar por baixo do guardrail, estava sentindo ir deslizando pelo asfalto por alguns metros e ouvindo o barulho da moto tbm no chão. O Carlos fala que dei uma pancada  nos ferros e a moto passou a meio metro de me atropelar, mas felizmente o pior não aconteceu. Só me dei conta quando estava já no canteiro, deitada e com muita dor no lado direito. tirei o capacete e em poucos segu

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita! Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo. Mas senta que lá vem história... No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apres

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo. Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam. Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes... Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda! Em Puerto Madr