Pular para o conteúdo principal

Easy Rider - Sem Limites

Acabei de assistir pela primeira vez o filme Easy Rider, já me disseram que é obrigação de todo motociclista assistir, então foi interessante conhecer a obra, e garanto, realmente vale a pena!!!

Primeiramente é interessante conhecer o contexto e observar o roteiro e suas demonstrações das atitudes americanas da época, como os hippies, o uso intenso das drogas, o preconceito e os conflitos sociais, mas na minha opinião, a melhor parte da obra se resume num curto diálogo que me fez refletir:

"George: Sabem, esta cidade já foi muito boa. Não entendo o que está acontecendo com ela.
Billy: Todos viraram covardes, é isso. Não podemos nem ficar num hotel de segunda classe. O cara achou que a gente fosse matá-lo. Eles têm medo.
George: Eles não têm medo de você, mas do que você representa.
Billy: Cara, para eles, só represento alguém que deveria cortar o cabelo!
George: Não. Você representa para eles a Liberdade.
Billy: E o que há de errado com a liberdade?! É disso do que se trata!
George: Sim, é disso do que se trata. Mas FALAR sobre isso e SER isso são duas coisas diferentes, quer dizer, é difícil ser livre quando se é comprado e vendido no mercado. Mas nunca diga a alguém que ele não é livre… Por que ele vai tratar de matar e aleijar para provar a você que ele é. Eles falam e falam sem parar de Liberdade Individual… Mas quando vêem um Indivíduo Livre, ficam com medo.
Billy: Eu não boto ninguém pra correr de medo.
George: Não. É você quem corre perigo."

E logo após mostra o perigo de "tentar" ser livre, e quantos de nós já não vimos atitudes semelhantes, se não em ações... mas em palavras tentando destruir algo tão importante que esse sentimento representa.

E o engraçado é que sendo alguém que preza tanto isso, vejo esses mesmos ataques em tantos campos da vida. Na utilização de Software Livre, por exemplo, quantas vezes já não ouvi piadinhas ridicularizadoras por defender essa causa? Muitos nem querem se informar sobre do que se trata, mas fazem questão de atacar a busca de liberdade de outros.

Como motociclista... o próprio filme já demonstra claramente o desejo de sufocar essas atitudes, é, pegar uma moto e sair por aí é coisa de gente maluca, sem o que fazer, ou sem compromisso com o sistema ... ir sozinha então?!!! Você tem que definir suas prioridades, arranjar alguém e ficar quieta em casa!

Não concordar com todas as regras religiosas? Você não pensava assim, quem está fazendo a sua cabeça? Esses seus amigos ... sempre esses seus amigos!!! E aí vira motivo de preocupação de parentes ou de supostos amigos que são os primeiros a "aconselhar", mas os últimos a incentivar a autenticidade de cada um.

Mesmo com tantos ataques, e as vezes ficando com o espírito condoído pelas palavras, sinceramente, sabe o que realmente acho?

Liberdade é pouco!!! O que eu desejo ainda não tem nome!!!
Clarisse Lispector






Recomendadíssimo!!! Segue o link para quem desejar conferir tbm o filme na íntegra:


Comentários

  1. Que show!

    Esse diálogo é a chave do filme (e do resto da cultura motociclística, na minha opinião).

    São raros os que vêem esse filme por 10 ou 20 vezes e pegam essa essência, ainda mais com esse alcance.

    Parabéns.

    Haendel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Um tombo que não estava nos planos =/

Bem, já deu pra perceber que desafio pouco é para os fracos né, nossa viagem está levando essa palavra muito a sério rsrs. Antes de mais nada quero deixar claro que estou bem, mesmo !!! Não avisei nada antes para não preocupar ninguém, só estou colocando no blog porque faz parte do Giro né rsrs Depois de nos encantarmos com a estrada incrível de Puerto Maldonado a Cusco, faltando uns 100 kms para o destino final sofri um acidente. Numa curva simples a roda dianteira escorregou na faixa central e fui direto pro guardrail. Lembro que quando estava caindo só ficava pensando em me encolher pra tentar passar por baixo do guardrail, estava sentindo ir deslizando pelo asfalto por alguns metros e ouvindo o barulho da moto tbm no chão. O Carlos fala que dei uma pancada  nos ferros e a moto passou a meio metro de me atropelar, mas felizmente o pior não aconteceu. Só me dei conta quando estava já no canteiro, deitada e com muita dor no lado direito. tirei o capacete e em poucos segu

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita! Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo. Mas senta que lá vem história... No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apres

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo. Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam. Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes... Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda! Em Puerto Madr