Pular para o conteúdo principal

Vlog Rumo aos Sonhos - Episódio 010 e 011 - Um bate papo sobre a Lander

Não é todo dia que encontramos uma moto com quase 270 mil kms rodados, e essa é a atual quilometragem da minha Lander. Peguei a motoca zero km no dia 25/01/2014, meu objetivo era ter uma moto novinha para a primeira viagem para o exterior, o Giro Latino, que já está registrado aqui no blog.

Desde então tivemos a chance de percorrer juntas 9 países aqui da América Latina, sem contar a parceria dia a dia nas idas ao trabalho, faculdade e muito mais. Já foram muitos kms de alegria, e fico na expectativa para que venham muito mais!

Devido essa alta quilometragem, muitos me perguntam sobre as manutenções que faço, se já fiz o motor...então para esclarecer todas as dúvidas, decidi fazer dois vídeos relacionados.

O Episódio 010 respondo a clássica pergunta se já fiz o motor da Lander, e sim, já fiz, com 176 mil kms. Quando tinha 100 mil kms, o eixo da rosca do pinhão espanou e rodei 76 mil kms com o pinhão soldado. Para resolver o problema de uma vez por todas, fizemos o evento do QG da Oficina, onde meus amigos mecânicos Barba e Glauco gentilmente cederam a mão de obra, e o afilhado Boni o quintal. Juntou a necessidade, a ajuda da galera e um pouco de carne e coca cola...e eis que a Lander surgiu novinha em folha \o/. Neste vídeo falo um pouquinho sobre a saga, e mostro imagens que comprovam a durabilidade e deste motor, tão conhecido e reconhecido pela sua qualidade e resistência.



No episódio 011 falo um pouco sobre as manutenções que faço na Lander, jogo aberto e falo inclusive das marcas que uso. Acho que são boas dicas, visto que, com tanto tempo e kms, já tive a chances de testar váááários modelos.



Espero que os vídeos sejam úteis, e tendo qualquer dúvida, podem postar aqui nos comentários ou no próprio vídeo do Youtube, bora conferir, e não esqueça de se inscrever e curtir viu ;-)

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo. Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam. Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes... Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda! Em Puerto Madr

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado

"Se algo pode dar errado, dará!"  Esta é a famosa lei de Murphy, e é impressionante como se contextualiza em viagens de moto. No nosso Giro não poderia ser diferente, e pra falar a verdade, ela veio a tona dia 15/11 , o dia em que NADA deveria ter dado errado. Bem, saímos pela manhã do hotel Liporaca, em Rio Gallegos. O Alfredo estava tbm quase pronto pra sair, mas como ele anda muito e estava com uma BMW fomos na frente, mas não demorou muito para que nos alcançasse. Nos ajudou muito explicando como proceder na Aduana, pois neste trecho passamos pelo Chile, acredito que menos 300 kms, mas é necessário seguir os procedimentos de entrada e saída do país. O dia já não começou muito bem quando pedi a caneta emprestada do atendente chileno. Ele emprestou e falou para devolver, ok, mas emprestei pra um dos colegas, que foi passando para outro, e para outro, e depois chegou um ônibus... todo mundo usando... quando fui ser atendida, qual a primeira coisa q