Pular para o conteúdo principal

09/11 - de Buenos Aires a Adolfo Gonzales Chaves

Uma frase da música O Viajante, do Forfun, diz assim:

"Vou ver o mundo tendo o mundo como anfitrião"


Uma das coisas mais gostosas do mundo é planejar uma viagem, e ao mesmo tempo, é muito legal tbm estar com o roteiro aberto e se surpreender com o caminho, e a cidade de Adolfo Gonzales Chaves nos fez ter essa sensação.

Bem, na segunda feira de manhã, fomos novamente ao centro de Buenos Aires para fazer câmbio e finalmente partir. Encontramos uma casa de câmbio num pequeno shopping, o que foi bom, visto que pagavam o mesmo valor que o Banco e sem fila. Trocamos R$ 1 a 3,60 pesos argentinos. Não sabíamos qto estaria o peso mais pra baixo, então todos nós trocamos a maior parte do dinheiro neste momento.


Ainda bem que havia carregado o trajeto no gps do celular, senão a falta de informações e placas teria dado muuuito trabalho. Pegamos a Ruta Nacional 3 sem surpresas, e logo começaram as infinitas retas. Por toda a rodovia, a cada 150 - 200 kms em média tem postos da rede YPF , e o mais legal é que quase todos tem wi-fi, chegávamos e nossa primeira pergunta era a senha rsrs.

Depois de alguns kms precisamos colocar a capa de chuva, e realmente pegamos A CHUVA, a minha capa estava meio velhinha e rasgada por conta da mordida de um cachorro rsrs fui remendando ao longo do caminho. Tds olhavam inconformados pra mim, mas fazer o que... era a única que eu tinha no momento, e não queria gastar com uma nova :D


No final da tarde, decidimos entrar na primeira cidade que encontrássemos antes de anoitecer. É curioso que da rodovia não da pra ter noção do tamanho das cidades, pois a maioria passa realmente por fora. Paramos num lugar de informações turísticas e encontramos um senhor motociclista muito gente boa, que nos levou até um hotel e deu várias dicas do local.



Adolfo Gonzales Chaves é a "Capital Nacional del Vuelo a Vela", super tranquila e linda. Numa farmácia bem bacana encontramos dois senhores que são pilotos


e nos contaram muitas histórias bacanas, maaaaassss.....


...uma das coisas que menos vamos esquecer foi a janta, com certeza nossa melhor refeição da Argentina :D rsrsrs #Huuummmmm


Realmente, apesar da passagem rápida, voltamos com boas recordações dessa cidade, uma feliz descoberta, sensação que ser motociclista sempre nos presenteia.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita!

Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo.

Mas senta que lá vem história...

No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apresentam…

Uma pessoa especial...

Sou uma motociclista que sempre foi independente, dona de si e que se esforça em realizar os sonhos de estrada, mas tbm sou uma mulher que, junto com as aventuras de ir longe...tbm sonha em ter a cia de alguém especial, que encontre um sorriso ao lado quando acordar em algum hotel por aí, alguém que queira dividir momentos, sonhos, família e muito carinho.

A música abaixo do Paolo representa bem o que eu sentia:

"Quero uma pessoa como eu Que me aceite como eu sou Que precise de carinho e de amor Quero uma pessoa como eu Que aprenda a me escutar Que entenda o que diz o meu olhar Que não fique por ficar Quero alguém afim de viajar no por do sol
Que acenda no meu céu todas as estrelas do prazer
Eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingir Que me de muito valor na hora que eu me entregar
Mas eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingi…

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado

"Se algo pode dar errado, dará!" 
Esta é a famosa lei de Murphy, e é impressionante como se contextualiza em viagens de moto. No nosso Giro não poderia ser diferente, e pra falar a verdade, ela veio a tona dia 15/11 , o dia em que NADA deveria ter dado errado.

Bem, saímos pela manhã do hotel Liporaca, em Rio Gallegos.


O Alfredo estava tbm quase pronto pra sair, mas como ele anda muito e estava com uma BMW fomos na frente, mas não demorou muito para que nos alcançasse.

Nos ajudou muito explicando como proceder na Aduana, pois neste trecho passamos pelo Chile, acredito que menos 300 kms, mas é necessário seguir os procedimentos de entrada e saída do país.

O dia já não começou muito bem quando pedi a caneta emprestada do atendente chileno. Ele emprestou e falou para devolver, ok, mas emprestei pra um dos colegas, que foi passando para outro, e para outro, e depois chegou um ônibus... todo mundo usando... quando fui ser atendida, qual a primeira coisa que o atendente pediu? A …