Pular para o conteúdo principal

06/11 - De Montevidéu UY a Colônia Del Sacramento UY

Já fazem praticamente 4 meses que voltamos de viagem, e como passa rápido né...  Durante esse período aconteceram tantas coisas... algumas legais... outras que tiraram um pouco meu interesse em registrar a viagem aqui no blog. Só uma coisa continuou exatamente igual: O orgulho de ter realizado esse sonho! 

É engraçado que muitas vezes não lembramos nem do que comemos ontem, mas qto a viagem, ao rever as fotos ainda é possível lembrar cada detalhe, o clima de cada lugar...e alegria em vivenciar tudo aquilo, bora retomar a garupa virtual então? \o/ De Montevidéu a Colônia Del Sacramento.

Bem, o hotel em Montevidéu estourou o nosso orçamento, nesse momento o Gerson nos alertou "Melhor não fazer isso... vai faltar lá na frente" rsrsrs mas deixa a sofrência do final da viagem pra depois rsrsrs

O hotel era ótimo e super bem localizado, como não somos muito fãs de grandes cidades, nosso objetivo era apenas um: O registro do Giro Cone Sul na fonte dos cadeados.



Recebemos a dica do Freitas e o Carlos gentilmente teve o capricho de preparar uma placa do Giro Cone Sul, com o nome de cada integrante...


E olha os Filhos da Lua marcando presença tbm \o/...


Aháá e o momento foi tão histórico que até o Carlos Gardel quis ficar por dentro da aventura, olha o papo de compadre aí rsrsrs



A fonte é super interessante e cheia de histórias... :)








E olha aí, devidamente registrados \o/


A trupe completa \o/




Ainda demos uma volta pela avenida 18 de Julho, que é uma das principais da cidade, aproveitamos e alguns de nós fizemos mais um pouco de câmbio, em Chuí havíamos trocado R$1 x 8,90 pesos uruguaios, ja em Montevidéu trocamos a 7, 40, e era a média na maioria das casas, algumas ainda faziam a 7,20 , prejuízo garantido.




Logo partimos para Colônia Del Sacramento, demos sorte em andar em Montevideu sem dificuldades, e mesmo sem gps conseguimos sair de lá sem problemas.




Havíamos decidido almoçar na estrada, mas as horas foram passando... passando... e nada de achar um lugar viável, paramos então numa cantina famíliar para um simples sanduíche. As crianças por lá ficaram encantadas com as motos, e acho que plantamos algumas sementes de duas rodas por lá :-)





Logo chegamos em Colonia, estrada tranquila, toda reta... um pouco entediante pra ser sincera, mas de boa...



Logo fomos para o Farol, ponto principal com uma vista maravilhosa *-*


Enquanto estávamos lá em cima, o Carlos ficou olhando as motos, uma senhora queria de todo jeito receber para olhar as motos, mesmo conosco afirmando que não queríamos o serviço, e ela encheu o saco viu, mulher encrenqueira ¬¬' no fim, o Carlos até pegou um troco de cada e deu pra ela, no fim para nós era mixaria... mas não sabemos a situação de cada um né... amigo de bom coração esse afilhado :-)





Colônia é super aconchegante, com muitas opções de hospedagem, ficamos num bom hostel, serviu para quebrar o trauma do hostel de Punta Del Leste rsrs



A noite fomos num restaurante na praça central, e embora fomos muito bem servidos, fomos obrigados a pagar o couvert artístico de um cara que nem vimos cantar, pq queríamos ir embora logo, injusto né.

Bem, em se tratando de turismo, Colônia foi a última cidade que efetivamente ficamos no Uruguai, a lembrança que ficou foi de um país muito bem estruturado, com ótimas rodovias e lugares maravilhosos  a visitar.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita!

Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo.

Mas senta que lá vem história...

No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apresentam…

Uma pessoa especial...

Sou uma motociclista que sempre foi independente, dona de si e que se esforça em realizar os sonhos de estrada, mas tbm sou uma mulher que, junto com as aventuras de ir longe...tbm sonha em ter a cia de alguém especial, que encontre um sorriso ao lado quando acordar em algum hotel por aí, alguém que queira dividir momentos, sonhos, família e muito carinho.

A música abaixo do Paolo representa bem o que eu sentia:

"Quero uma pessoa como eu Que me aceite como eu sou Que precise de carinho e de amor Quero uma pessoa como eu Que aprenda a me escutar Que entenda o que diz o meu olhar Que não fique por ficar Quero alguém afim de viajar no por do sol
Que acenda no meu céu todas as estrelas do prazer
Eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingir Que me de muito valor na hora que eu me entregar
Mas eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingi…

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado

"Se algo pode dar errado, dará!" 
Esta é a famosa lei de Murphy, e é impressionante como se contextualiza em viagens de moto. No nosso Giro não poderia ser diferente, e pra falar a verdade, ela veio a tona dia 15/11 , o dia em que NADA deveria ter dado errado.

Bem, saímos pela manhã do hotel Liporaca, em Rio Gallegos.


O Alfredo estava tbm quase pronto pra sair, mas como ele anda muito e estava com uma BMW fomos na frente, mas não demorou muito para que nos alcançasse.

Nos ajudou muito explicando como proceder na Aduana, pois neste trecho passamos pelo Chile, acredito que menos 300 kms, mas é necessário seguir os procedimentos de entrada e saída do país.

O dia já não começou muito bem quando pedi a caneta emprestada do atendente chileno. Ele emprestou e falou para devolver, ok, mas emprestei pra um dos colegas, que foi passando para outro, e para outro, e depois chegou um ônibus... todo mundo usando... quando fui ser atendida, qual a primeira coisa que o atendente pediu? A …