Pular para o conteúdo principal

03/11 - De Porto Alegre ao Chuí

Nosso quarto dia de viagem foi excelente e rendeu bem, ficamos num bom hotel em Porto Alegre e saímos cedo para cumprir o objetivo de chegar ao Chuí.



E ahaaa, XT pega em flagrante, não é só a Lander que se desmonta pelo caminho :-P


O único lugar que pagamos pedágio foi na saída de Porto Alegre, e foi caro, R$ 6,30 se não me engano, para moto. Do restante, em alguns lugares liberam na própria cabine, em outros tem a passagem lateral para moto. A estrada é simples, mas está em bom estado, não tivemos problemas nenhum no caminho. A não ser um chuvisqueiro que começou a perseguir por um trecho.


A primeira vez que vimos a placa com a quilometragem para o Chuí foi uma emoção. Para quem não conhece, Chuí é a cidade mais ao sul do Brasil, fronteira com o Uruguai, já li vários relatos de motociclistas que vão para lá, e foi uma emoção tbm estar nesse caminho.




A medida que as placas vão aparecendo, a sensação é que o sonho está realmente tomando forma *-*


E sempre que possível registrando nossa passagem \o/



E finalmente missão cumprida, tudo certo até a fronteira.







Nos hospedamos no hotel Turis Fiper, e foi uma boa, pois tem garagem e o Sérgio Fernandez, responsável por lá, foi excelente no atendimento.

Neste mesmo dia, o Kpot e eu compramos a Carta Verde, para alguns, que possuem seguro da Porto Seguro, foi menos de R$ 100 comprando antecipado, para nós, que precisamos comprar na hora para um mês, foi R$240, com um cara no posto Ipiranga na entrada da cidade. Em frente o posto tinha uma moça que vendia e pediu R$300, então fica a dica o/


Para comemorar e já entrar no clima, fomos jantar pizza do lado Uruguaio, visto que o que separa o Chuí brasileiro do Chuy Uruguaio, é apenas um canteiro na avenida. E estava muuuuito bom, esse formato/tamanho chamam de pizza de meio metro.


Bem, até este momento, no Brasil, todas as cidades foram passagem, a partir daqui é que as coisas realmente começam a ficar divertidas ;-) bora lá o/

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Vlog Rumo aos Sonhos - Episódio 010 e 011 - Um bate papo sobre a Lander

Não é todo dia que encontramos uma moto com quase 270 mil kms rodados, e essa é a atual quilometragem da minha Lander. Peguei a motoca zero km no dia 25/01/2014, meu objetivo era ter uma moto novinha para a primeira viagem para o exterior, o Giro Latino, que já está registrado aqui no blog. Desde então tivemos a chance de percorrer juntas 9 países aqui da América Latina, sem contar a parceria dia a dia nas idas ao trabalho, faculdade e muito mais. Já foram muitos kms de alegria, e fico na expectativa para que venham muito mais! Devido essa alta quilometragem, muitos me perguntam sobre as manutenções que faço, se já fiz o motor...então para esclarecer todas as dúvidas, decidi fazer dois vídeos relacionados. O Episódio 010 respondo a clássica pergunta se já fiz o motor da Lander, e sim, já fiz, com 176 mil kms. Quando tinha 100 mil kms, o eixo da rosca do pinhão espanou e rodei 76 mil kms com o pinhão soldado. Para resolver o problema de uma vez por todas, fizemos o evento do QG da

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo. Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam. Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes... Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda! Em Puerto Madr

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita! Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo. Mas senta que lá vem história... No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apres