Pular para o conteúdo principal

Fazedor de Chuva - Rota Nascente - 04/05

Tudo o que é bom dura pouco =/ e o feriado prolongado rodando por uma região maravilhosa passou voando e deixou o gostinho bom de descobrir lugares incríveis tão pertinho de casa :-)

Bem, como dito no post anterior cheguei em Buritama no início da noite do dia 03, e no dia 04 logo cedo estava a todo vapor doida com vontade de rodar :-D


Buritama significa "terra dos buris", buri é uma Palmeira. Uma cidade encantadora que parecia ser muito tranquila tbm, ruas largas, organizada... do tipo de cidade que gostaria de morar :-)

O registro na prefeitura:




Mas a melhor parte foi, de novo, o rio!!! Gentilmente me deixaram entrar no Parque para tirar fotos, um lugar super agradável e cheio de atrativos.


Na portaria tava cheio de cara e eles acharam que eu era da polícia por causa da moto branca, ficaram lá babando :-P rsrsrs


Não resisto a esse riozão *-*





Seguindo adiante para a minha 12ª cidade, chego à divisa com Zacarias, e já encontro o rio logo de cara



Logo na entrada chama a atenção o carinho da descrição: "A princesinha do vale do Tietê", princesinha sim porque possui apenas 320 kms², e é sim uma cidade super agradável.  Ahhhh e não tem nada a ver com o personagem dos Trapalhões ok.


O registro na prefeitura...


e até aqui já havia percorrido quase 1520 kms


Sem querer demorar segui para José Bonifácio, a rodovia que liga Zacarias a Bonifácio tem uma parte em obras, atenção aí porque estava bem ruim.



Assim que cheguei a José Bonifácio parei num posto pra perguntar onde era a prefeitura e onde o rio passava por lá, o frentista chamou um outro colega e me disse que aquele era o maior pescador da cidade rsrs imagine as histórias que devem sair dos papos hein rsrs. Pela orientação dele, eu só conseguiria foto no Rio Tietê na divisa com Barbosa, então nessa viagem José Bonifácio foi o único município que ainda falta a foto do rio, mas a prefeitura está registrada.



Já pegando o caminho pra casa passei em Ubarana, também pequenininha mas entrou para o registro.


A prefeitura:


E o rio, na divisa com Promissão.



Com uma galera curtindo a prainha e tudo o que tem direito rsrs



A Usina de Promissão...


E registrando o lado do rio pertencente à cidade.




Lindo né *-* 



Em Promissão achei facilmente a prefeitura, e por sinal parecia ser um prédio atrativo... bacana isso.




Almocei por lá depois de achar apenas um restaurante aberto num domingo, perto da rodoviária, e valeu a pena passar por lá, só não anotei o nome do lugar :-( Marcelo... Marcelino... sei lá, alguma coisa assim.

O estabelecimento era cheio de fotos do Santos FC, e num momento o dono me observou mexendo no celular e o jovem que estava na mesa de trás tbm, sentou na minha mesa e disse que haverá um dia que ninguém mais vai conversar pessoalmente, e começou a me contar que ele teve o primeiro telefone da região, e que por sinal é o mesmo número até hoje. Naquele tempo as linhas eram compradas e demorava um tempão pra ficar disponível. Ele era tbm o santista da casa, mas disse que não arranja encrenca pelo time não, mas que tbm não perde uma piada rsrsrsrs valeu a pena ter deixado o WhatsApp de lado, boas histórias :-D

Já era por volta das 14 hs e segui pra casa, nesses 4 dias percorri apenas 15 das 69 cidades pertencentes ao desafio:

1-) Itapura
2-) Castilho
3-) Andradina
4-) Ilha Solteira
5-) Pereira Barreto
6-) Sud Mennucci
7-) Sto Antonio do Acaranguá
8-) Araçatuba
9-) Birigui
10-) Brejo Alegre
11-) Buritama
12-) Zacarias
13-) José Bonifácio
14-) Ubarana
15-) Promissão

Foram mais de 2 mil kms e cada um deles valeu a pena, ví pessoalmente que o Tietê tem vida, e foi muito legal descobrir isso, é sempre bom notar que coisas simples ainda nos encantam, afinal, essas sim são as verdadeiras alegrias da nossa existência.


Logo logo continuo o desafio percorrendo e aprendendo com o restante das cidades, bora?

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita! Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo. Mas senta que lá vem história... No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apres

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo. Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam. Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes... Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda! Em Puerto Madr

Vlog Rumo aos Sonhos - Episódio 010 e 011 - Um bate papo sobre a Lander

Não é todo dia que encontramos uma moto com quase 270 mil kms rodados, e essa é a atual quilometragem da minha Lander. Peguei a motoca zero km no dia 25/01/2014, meu objetivo era ter uma moto novinha para a primeira viagem para o exterior, o Giro Latino, que já está registrado aqui no blog. Desde então tivemos a chance de percorrer juntas 9 países aqui da América Latina, sem contar a parceria dia a dia nas idas ao trabalho, faculdade e muito mais. Já foram muitos kms de alegria, e fico na expectativa para que venham muito mais! Devido essa alta quilometragem, muitos me perguntam sobre as manutenções que faço, se já fiz o motor...então para esclarecer todas as dúvidas, decidi fazer dois vídeos relacionados. O Episódio 010 respondo a clássica pergunta se já fiz o motor da Lander, e sim, já fiz, com 176 mil kms. Quando tinha 100 mil kms, o eixo da rosca do pinhão espanou e rodei 76 mil kms com o pinhão soldado. Para resolver o problema de uma vez por todas, fizemos o evento do QG da