Pular para o conteúdo principal

26/03 - Terras tupiniquins a vista \o/

Como já dizia a música "O meu país" do Zé Ramalho:

"Um país onde as leis são descartáveis
Por ausência de códigos corretos
Com quarenta milhões de analfabetos
E maior multidão de miseráveis
Um país onde os homens confiáveis
Não têm voz, não têm vez, nem diretriz
Mas corruptos têm voz e vez e bis"



Mas sim, é o nosso país, e apesar de tantos problemas, tantas injustiças e tanta coisa errada... ainda é muito bom voltar para o Brasil, estávamos com saudade :-)

Saímos de Posadas pela manhã ansiosos por chegar logo ao Brasil, ouvir o português, comer arroz com feijão... o Boni ficava até dizendo que ia beijar o primeiro borracheiro que visse, sorte dos borracheiros que não encontramos nenhum kkkkk :-P


Como queríamos entrar por Santa Catarina, pegamos a RN 14 achando que ganharíamos tempo, mas pegamos uma serra que embora tinha um bom asfalto não tinha nada de estrutura, ou seja, passei aperto com combustível de novo =/


Pra frente de San Pedro a estrada ficou mto bonita :-)




Na fronteira foi super tranquilo, bastou dar nossa saída com os passaportes, nada de burocracia ou espera. Até fomos confirmar na polícia federal se era só isso mesmo, praticidade e agilidade entre Brasil e Argentina? Era pra se desconfiar..



Exaustos, com fome... bom humor era algo que estava longe de mim viu =/ 


Apesar da saudade do Brasil... ela quase passou na estrada, seguimos em direção ao Rio Grande do Sul para a última atração e foi terrível!!! Estrada em obras, esburacada em vários trechos, pouca sinalização... um verdadeiro lixo de rodovia, revoltante passar por lugares assim ¬¬'


Nos hospedamos em São Miguel do Oeste, lugar tranquilo, agora como não tinha mais dinheiro sobrando vamos voltar ao modo econômico nas hospedagens rsrs


Até aqui foram 8446 kms rodados, boa aventura e muito chão hein \o/



No dia seguinte Salto de Yacumã, último atrativo da viagem.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita!

Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo.

Mas senta que lá vem história...

No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apresentam…

Uma pessoa especial...

Sou uma motociclista que sempre foi independente, dona de si e que se esforça em realizar os sonhos de estrada, mas tbm sou uma mulher que, junto com as aventuras de ir longe...tbm sonha em ter a cia de alguém especial, que encontre um sorriso ao lado quando acordar em algum hotel por aí, alguém que queira dividir momentos, sonhos, família e muito carinho.

A música abaixo do Paolo representa bem o que eu sentia:

"Quero uma pessoa como eu Que me aceite como eu sou Que precise de carinho e de amor Quero uma pessoa como eu Que aprenda a me escutar Que entenda o que diz o meu olhar Que não fique por ficar Quero alguém afim de viajar no por do sol
Que acenda no meu céu todas as estrelas do prazer
Eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingir Que me de muito valor na hora que eu me entregar
Mas eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingi…

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado

"Se algo pode dar errado, dará!" 
Esta é a famosa lei de Murphy, e é impressionante como se contextualiza em viagens de moto. No nosso Giro não poderia ser diferente, e pra falar a verdade, ela veio a tona dia 15/11 , o dia em que NADA deveria ter dado errado.

Bem, saímos pela manhã do hotel Liporaca, em Rio Gallegos.


O Alfredo estava tbm quase pronto pra sair, mas como ele anda muito e estava com uma BMW fomos na frente, mas não demorou muito para que nos alcançasse.

Nos ajudou muito explicando como proceder na Aduana, pois neste trecho passamos pelo Chile, acredito que menos 300 kms, mas é necessário seguir os procedimentos de entrada e saída do país.

O dia já não começou muito bem quando pedi a caneta emprestada do atendente chileno. Ele emprestou e falou para devolver, ok, mas emprestei pra um dos colegas, que foi passando para outro, e para outro, e depois chegou um ônibus... todo mundo usando... quando fui ser atendida, qual a primeira coisa que o atendente pediu? A …