Pular para o conteúdo principal

24/03 - Taco Pozo a Resistência - ainda na Argentina

Quando a viagem vai chegando ao fim a ansiedade é tão grande quanto antes da partida: Saudade da família, saudade de casa, do nosso chuveiro, da nossa cama... bem, é muito bom partir, mas é muito bom também ter para onde e para quem voltar.Essa ansiedade se reflete até na quantidade de fotos, não porque não encontramos lugares bonitos ou curiosidades, mas as coisas já não tem o mesmo brilho.

Saímos de Taco Pozo pela manhã, e agora finalmente tranquilos com dinheiro rsrs sem apertos \o/

A estrada continuou boa, muitas e muitas retas... sem grandes surpresas.



Almoçamos em Pampa del Infierno, uma coisa nova que só fomos descobrir lá em Pampa é que o dia 24 de Março é feriado na Argentina, é o "dia nacional da memória, da verdade e da justiça", é quando recordam do golpe de estado de 1976, quando iniciou uma das eras mais difíceis da Argentina. Só descobrimos que era feriado porque rodamos a cidade... rodamos... rodamos... e não achávamos restaurante pra almoçar rsrs tudo fechado, até que encontramos o restaurante de um posto de gasolina e um cliente explicou kkkk


E no fim almoçamos muuuuito bem, mas esse prato ai era do Boni viu :-P



Continuamos rodando e chegamos a Resistência, uma cidade grande e bem estruturada, como a grana agora tava sobrando ficamos no Hotel Royal, se não me engano foram 240 pesos argentinos, mas foi bom, depois de tanto perrengue que passamos o mês todo... tava na hora de começar a relaxar um pouco rsrsrs


Em Resistência tbm trocamos mais alguns dólares e vimos como perdemos dinheiro em Taco Pozo, trocando em casa de câmbio o dólar estava 10,40 pesos, bem além dos 8 pesos que o cara do hotel nos pagou, mas paciência, como o Boni diz..."enquanto uns choram, outros vendem lenços" rsrs.

Uma coisa boa na argentina é andar sem todo o medo que sentimos nas cidades grandes daqui do Brasil, não sei como é o índice de violência de lá, mas a sensação era boa, por todo o país fomos muito bem tratados, nada de rixa como eu imaginava que seria contra brasileiro, claro, não falamos de futebol com ninguém né... mas foi super bacana.

Bora, mais um pouco e logo logo chegaríamos ao Brasil \o/

Comentários

  1. Outros viajantes dizem que a rixa com brasileiro se restringe a Buenos Aires e ainda depende do bairro...rs O resto da argentina costuma ser descrito como tranquilo de acordo com sua descrição.

    Também já conheci essa sensação de nem querer mais tirar fotos, no retorno da viagem. Vi que acontece até com os viajantes antigos e experientes... é a tônica da maioria dos blogs de viagem.

    Se viermos a viajar juntos, pode deixar que eu levo um chuveiro na bagagem...rs

    Abraço,

    haendel.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado

"Se algo pode dar errado, dará!" 
Esta é a famosa lei de Murphy, e é impressionante como se contextualiza em viagens de moto. No nosso Giro não poderia ser diferente, e pra falar a verdade, ela veio a tona dia 15/11 , o dia em que NADA deveria ter dado errado.

Bem, saímos pela manhã do hotel Liporaca, em Rio Gallegos.


O Alfredo estava tbm quase pronto pra sair, mas como ele anda muito e estava com uma BMW fomos na frente, mas não demorou muito para que nos alcançasse.

Nos ajudou muito explicando como proceder na Aduana, pois neste trecho passamos pelo Chile, acredito que menos 300 kms, mas é necessário seguir os procedimentos de entrada e saída do país.

O dia já não começou muito bem quando pedi a caneta emprestada do atendente chileno. Ele emprestou e falou para devolver, ok, mas emprestei pra um dos colegas, que foi passando para outro, e para outro, e depois chegou um ônibus... todo mundo usando... quando fui ser atendida, qual a primeira coisa que o atendente pediu? A …

14/11 - De Caleta Olivia a Rio Gallegos

Amigos se reconhecem! Já escrevi esta frase aqui no blog dezenas de vezes, mas a cada dia tenho mais certeza que essas palavras são reais, vamos lá... que nosso objetivo está cada vez mais perto!!

A partir de Comodoro Rivadavia diminuiu um pouquinho (em alguns trechos) as retas intermináveis da Ruta 3 e pegamos trechos lindos beirando o mar.



E neste trecho realmente começamos a sentir o frio pra valer.
E olha aí... até o Tux já pegou a rota para Ushuaia rsrs

Num posto de gasolina conhecemos  o Alfredo Paz, um motociclista que mora em Ushuaia. Ele nos deu muitas dicas do caminho e inclusive recomendou o hotel que ficaria em Rio Gallegos, explicando certinho como chegar lá... bacana né \o/

Numa breve parada no meio do nada...


Desafiamos o vento rsrs e saímos perdendo rsrs

Nos posts anteriores mostramos como realmente o vento é forte, e se vc colocar a moto a favor do vento... ela cai rsrs e o Boni... sempre o Boni... quis tirar a prova kkkk, deu no que deu :-P

Felizmente não estrago…

11/11 - De Viedma a Puerto Pirámides (Península Valdés)

Tem um verso de uma música do Skank, que apesar de muito dramática, tem um trecho que diz assim:

"Vou deixar a vida me levar
Pra onde ela quiser
Seguir a direção
De uma estrela qualquer"
Vou deixar - Skank                                  
Pois é... deixar a vida levar... seguindo uma estrela qualquer.... Nosso 11º dia de viagem foi exatamente com esta sensação!! Viedma surgiu no nosso roteiro simplesmente porque o Paulo iria se hospedar por lá, como estava anoitecendo... decidimos ficar por lá tbm.
Ficamos num hostel simples...


Mas que renderam bons momentos de conversa :)


Nas paredes do hostel tinham imagens e mapas de um lugar lindo chamado El Condor, a menos de 30 kms de lá, então... bora ir descobrir né \o/








Em 1881 houve um naufrágio de um navio dinamarquês nessas águas, portanto, anos mais tarde, construíram este farol.




Haviam dezenas de pássaros por todo canto, realmente lindo de se ver.



A cada passo, ficávamos ainda mais encantados com a beleza do local.