Pular para o conteúdo principal

10/03 - Cusco Tour

Depois de tantos trancos e barrancos eis que finalmente pudemos começar a curtir Cusco rsrs \o/.  Ok ok, fui pra cima e pra baixo com os 3 pontos na perna e o braço doendo ( vou até ficar com a consciência pesada daqueles dias de preguiça que uma dorzinha de cabeça já faz o mundo quase acabar .... rsrs) mas fui \o/

A palavra Cusco significa umbigo, e a cidade é chamada assim de forma oportuna porque era considerada a capital do Império Inca. Toda a sabedoria e engenharia dos Incas era realmente intrigante, e foi incrível conhecer e aprender tudo ao vivo. Pra começar, chamar todos de Incas é uma generalização errada, pois os Incas eram apenas os reis, o restante, independente de ser autoridade ou não eram chamados de Quechuas.

Bem,  nunca fui muito fã de adquirir pacotes turísticos, sempre preferi o contato direto com moradores perguntando e descobrindo os melhores lugares, mas no caso de Cusco por ter tanta história envolvida preferimos entrar em contato com a agência Fabulous Peru Tours (recomendadíssima por sinal)  que prestou um serviço fantástico, o Fredy foi super gente boa e prestativo.

No primeiro dia fizemos o City Tour, visitando a Catedral, o Templo do Sol e algumas ruínas, realmente muito interessante.O nosso guia era fantástico, falava com tanta paixão da história que não tinha como não nos encantarmos tbm.

A Catedral e um pouco da área externa...





Infelizmente dentro da Catedral não pode filmar e nem tirar foto, mas o Carlos tentou dar um perdido e levou uma baita bronca rsrs mas esse é o registro de um dos templos rsrs



Apesar de eu não ser católica é impossível não apreciar a arte!!!!

Mtos pontos chamaram a atenção, como por exemplo a adaptação das cópias dos quadros religiosos pelos artistas Incas que estavam sendo catequizados. Através da arte eles tentaram manter viva a própria cultura, adaptando alguns pontos à cultura Inca, dando inicialização à Escola Cusquenha de Arte, vale a pena a pesquisa na internet para apreciar algumas obras.

Saindo da Catedral fomos em direção ao Templo do Sol, e durante o caminho observamos algumas bases de construções Incas. Por Cusco ser a cidades dos reis, as pedras eram perfeitamente lixadas e alinhadas, mostrando assim que se tratava de um lugar muito importante ou sagrado.

Lembro que num livro que lí a opinião do Che Guevara de quando ele passou em Cusco, mostrava claramente a decepção e tristeza ao observar os muros, que haviam sido tão bem esculpidos pelos Incas com toda sua sabedoria e que depois de destruídos foram porcamente reconstruídos pelos espanhóis, onde a clara dominação pela força e não pela cultura falava mais alto. na foto abaixo é perfeitamente possível perceber isso, a base é construção Inca e a parte de cima dos espanhóis.


Não se sabe ao certo qual era a forma de medida utilizada, falam que contavam em lhamas mas isso não é para todos os casos, de qualquer forma o alinhamento é perfeito e surpreendente para a época. 





Saindo do Templo passamos pelo que seria o Jardim, um espaço importante para a cultura.







Seguimos mais um pouco pela cidade e depois fomos de ônibus em direção as ruínas, a primeira foi a de Q'Enqo...



...e a Fortaleza de Sacsayhuaman, que segundo históriadores tinha propósito militar para defender-se de tribos invasoras.



É surpreendente o tamanho das pedras e a forma que foram colocadas, permitindo que o local fosse realmente estratégico.







O projeto de Cusco tinha a forma de um Puma, demonstrando assim a posição de ataque e sua força.





Fomos em várias outras ruínas como Puca Pucara...









e Tambomachay, essa última com um intrigante sistema aquedutos, canais e cascatas, visando justamente uma fantástica utilização da água, tanto dos lençóis freáticos qto o aproveitamento do degelo dos picos, realmente bela e muito interessante. 





Pra fechar o passeio com chave de ouro fomos a algumas cooperativas familiares afim de conhecer os produtos e saber distinguir os diversos tecidos apresentados, como o que provém das alpacas, lhamas ou tecidos sintéticos.



Descemos na praça das armas e aproveitamos pra conhecer um pouco...







...fazer compras... 



e matar quem nos matava rsrs a fome!!! Aproveitei e experimentei o Pisco Sour, bebida mto comum e apreciada por aqui, bom demais !!!



e pra mudar um pouco o cardápio fomos atrás de pizza, ninguém aguenta mais arroz, sopa e frango, ou pollo como chamam aqui arrrrgggghhhhh chega!!! São os pratos mais comuns e estão por todo lado o.O Cuidado!!!  Rsrs A Pizzaria está recomendada: Tratoria



O dia foi fantástico e super cultural, e durante toda a explicação do guia o que mais me chamou a atenção foi o código de conduta dos Incas que se baseava nos seguintes conceitos:


Ama llulla: No seas mentiroso / Não seja mentiroso
Ama sua: No seas ladrón / Não seja ladrão
Ama quella: No seas ocioso / Não seja ocioso

Durante todo o dia pudemos observar o resultado de anos e anos de trabalho e conhecimento adquirido de forma tão sábia e intrigante, e que foi duramente destruída devido o já tão conhecido e presente interesse, onde se valoriza mais o ter do que o ser ou saber. Talves seja utopia sonhar com respeito à cultura, crença e modo de viver, livre de guerras e tanta destruição, mas a energia de Cusco nos faz sonhar e acreditar que realmente existem ambientes sagrados e especiais, e esse código de conduta seria muito bem vindo à toda humanidade. 

Comentários

  1. Tbm sou apaixonado por tudo isso aí; sigam em paz! pois tem muito mais pela frente... Bolívia, tbm é show;

    ResponderExcluir
  2. Show de bola Noellen!!! Tô acompanhando!!!

    ResponderExcluir
  3. Continuamos por aqui. Fantástico. Parabéns pela sensibilidade, pelo olhar atento para a cultura visitada.

    Abraço,

    haendel

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita! Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo. Mas senta que lá vem história... No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apres

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo. Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam. Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes... Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda! Em Puerto Madr

Vlog Rumo aos Sonhos - Episódio 010 e 011 - Um bate papo sobre a Lander

Não é todo dia que encontramos uma moto com quase 270 mil kms rodados, e essa é a atual quilometragem da minha Lander. Peguei a motoca zero km no dia 25/01/2014, meu objetivo era ter uma moto novinha para a primeira viagem para o exterior, o Giro Latino, que já está registrado aqui no blog. Desde então tivemos a chance de percorrer juntas 9 países aqui da América Latina, sem contar a parceria dia a dia nas idas ao trabalho, faculdade e muito mais. Já foram muitos kms de alegria, e fico na expectativa para que venham muito mais! Devido essa alta quilometragem, muitos me perguntam sobre as manutenções que faço, se já fiz o motor...então para esclarecer todas as dúvidas, decidi fazer dois vídeos relacionados. O Episódio 010 respondo a clássica pergunta se já fiz o motor da Lander, e sim, já fiz, com 176 mil kms. Quando tinha 100 mil kms, o eixo da rosca do pinhão espanou e rodei 76 mil kms com o pinhão soldado. Para resolver o problema de uma vez por todas, fizemos o evento do QG da