Pular para o conteúdo principal

08/03 - De Puerto Maldonado a Cusco, será?

Os Fazedores de Chuva tem uma frase que constantemente me faz refletir:

"Qualquer um pode fazer, porém, poucos o fazem..."

Bem, a interação das postagens sobre a viagem com tantos amigos acompanhando e torcendo está sendo o máximo, é incrível ler cada incentivo, elogio, zoação, pergunta... enfim, realmente estamos com todos na garupa e nos pensamentos. Mas sabe... o que mais me encanta é saber que muitos estão se sentindo motivados a tbm se aventurar por aí, não temos a pretensão de ser exemplo, de em qualquer momento contar vantagem ou algo do tipo, somos apenas motociclistas, com motos simples e pequenas que desejam mais do que aceitar as verdades e imagens transmitidas pelos outros, mas desejamos descobrir tudo com nossos próprios olhos e emoção, então desde já muito obrigada a todos por tudo, mesmo!!!


Mas chega de baba ovo... rsrs

Saímos cedo de Puerto Maldonado porque sabíamos que a estrada para Cusco seria desafiadora, linda e aguardada.


Uma coisa interessante que achei na estrada foi a estrutura totalmente diferente para os viajantes. Nada de lojas de conveniência em postos de gasolina, só vimos essa acima e nada mais de placas informando quantos kms faltam, nada de cidades estruturadas pelo caminho para qualquer necessidade.... nada de nada rsrs

Uma das poucas opções existentes é a parada turística logo no começo da rodovia.


Eu já esperava encontrar quase um Graal ou Frango Assado... mas a situação foi um pouco diferente.


Só um pouco :-P rsrsrs


Durante todo o trajeto passamos por algumas áreas urbanas, mas tudo muito simples e precário, vários distritos, um atrás do outro... e quase todos do mesmo jeito.



Tivemos apenas um desafio: Abastecer a Teneré!! Isso pq o tanque possui esse "bloqueio" e não permitia que a bomba entrasse mais a fundo devido a largura do bico, com a pressão mais vazava gasolina do que abastecia, o jeito foi  o Carlos encher o meu galão e só então transferir o combustível.


Almoçamos em Mazuco, tudo muito simples mas foi o mais limpinho que aparecia rsrs


O almoço estava ótimo *-* e turista é uma droga né, tira foto de tudo :-P . Uma coisa interessante é que sempre, mesmo nos lugares mais simples, trazem uma sopa de entrada e depois o prato principal.


O tamanho do prato da criança :-P repor as energias né Boni rsrsrs

Pouco depois fomos parados pela primeira vez, mas foi só apresentar o SOAT e td ocorreu bem. Tinha uma molecada vendendo geladinho por lá, vieram logo puxar assunto rsrs perguntaram de futebol, quem eu conhecia como jogador e eles mesmo citaram os conhecidos: Neymar, Ronaldo...


Muito fofos e curtiram a lembrança do nosso adesivo :-)


A partir de Mazuco a estrada ficou cada hora mais linda, daqui pra frente não precisa de palavras, quem tem a "alma inquieta" vai entender nossa emoção *-*










Os "derrumbres" da rodovia, realmente desafiadores.














É de tirar o fôlego, literalmente!!!

Nosso objetivo para esse dia era chegar em Cusco, mas já deu pra perceber que desafio é praticamente sinônimo dessa viagem né, e claro, o dia não poderia ser diferente.

Senta que lá vem história no próximo post.... rsrs e será dolorido :-P rsrsrs

Comentários

  1. Adorei !, odeio novela,... mas essa eu não perco um capítulo!

    ResponderExcluir
  2. Estou me sentindo na garupa. Legal, já disse isso, minha próxima viagem será esta, descreva tudo detalhadinho. Boa viagem

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita!

Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo.

Mas senta que lá vem história...

No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apresentam…

Uma pessoa especial...

Sou uma motociclista que sempre foi independente, dona de si e que se esforça em realizar os sonhos de estrada, mas tbm sou uma mulher que, junto com as aventuras de ir longe...tbm sonha em ter a cia de alguém especial, que encontre um sorriso ao lado quando acordar em algum hotel por aí, alguém que queira dividir momentos, sonhos, família e muito carinho.

A música abaixo do Paolo representa bem o que eu sentia:

"Quero uma pessoa como eu Que me aceite como eu sou Que precise de carinho e de amor Quero uma pessoa como eu Que aprenda a me escutar Que entenda o que diz o meu olhar Que não fique por ficar Quero alguém afim de viajar no por do sol
Que acenda no meu céu todas as estrelas do prazer
Eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingir Que me de muito valor na hora que eu me entregar
Mas eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingi…

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado

"Se algo pode dar errado, dará!" 
Esta é a famosa lei de Murphy, e é impressionante como se contextualiza em viagens de moto. No nosso Giro não poderia ser diferente, e pra falar a verdade, ela veio a tona dia 15/11 , o dia em que NADA deveria ter dado errado.

Bem, saímos pela manhã do hotel Liporaca, em Rio Gallegos.


O Alfredo estava tbm quase pronto pra sair, mas como ele anda muito e estava com uma BMW fomos na frente, mas não demorou muito para que nos alcançasse.

Nos ajudou muito explicando como proceder na Aduana, pois neste trecho passamos pelo Chile, acredito que menos 300 kms, mas é necessário seguir os procedimentos de entrada e saída do país.

O dia já não começou muito bem quando pedi a caneta emprestada do atendente chileno. Ele emprestou e falou para devolver, ok, mas emprestei pra um dos colegas, que foi passando para outro, e para outro, e depois chegou um ônibus... todo mundo usando... quando fui ser atendida, qual a primeira coisa que o atendente pediu? A …