Pular para o conteúdo principal

Estrada Real - de 06 a 08 de Julho - Parte 1

No feriado prolongado de 06 a 08 de Julho, o top_dog(RAlves), o Osama e eu traçamos o objetivo de percorrer o caminho velho da Estrada Real, uma forma de se aventurar por lugares incríveis, descobrindo e revivendo os passos percorridos pelos escravos, pela realeza, pelo ouro e pela história.

O Caminho Velho se consiste no trajeto que vai de Paraty a Vila Rica (atual Ouro Preto). A partir da descoberta de ouro na região de Minas Gerais em fins do século XVII, este caminho transformou-se na rota preferida para atingir-se a região das minas, assim como para o escoamento de ouro, que era transportado por mar de Paraty para o Rio de Janeiro, de onde embarcava para Portugal. Esta via estendia-se por mais de 1.200 quilômetros, percorridos em cerca de 95 dias de viagem.

Com esse banho de história e cultura, ficamos ansiosos por essa aventura. Nosso objetivo era fazer de Guaratinguetá até Ouro Preto, sendo o mais fidedignos possível a rota e aos marcos, e pra ficar ainda melhor... de moto \o/

Saímos de Taubaté no sábado de manhã com direção a Guaratinguetá. A Dutra, como sempre, estava com o trânsito intenso, mas deu tudo certo na chegada.

O Osama e o top_dog baixaram as planilhas e o mapa que determina a rota que deveríamos pegar, na próxima vez, prometo que vou criar vergonha na cara e baixar tbm, coisa feia ficar só seguindo eles né :$ . Enfim, achamos o primeiro marco e foi o máximo quando a aventura começou pra valer. Encontramos uns caras que estavam percorrendo uns caminhos a cavalo, deve ser legal tbm hein, e foi divertido encontrá-los, muito figuras.


 Quando pegamos a estrada de terra, aí sim nos sentimos na estrada real, e qdo o caminho começou a ficar um pouquinho mais desafiador... ficou ainda mais divertido, a paisagem mudou... e o cheiro tbm rsrs nem lembrava qual era o cheiro de bosta de vaca, e fede viu :-P  a aventura veio com o pacote completo rsrs.




 No geral, de Guaratinguetá a Vila do Embaú (Cachoeira Paulista), a estrada está boa e da pra passar tranquilamente com qualquer moto. Fica mesclando entre trechos de terra e asfalto. Apenas uma coisa chata, o Governo está construindo uma barreira em uma das partes, a pé ou de bicicleta da pra passar, mas de moto... compensa dar a volta, é muito estreito pra atravessar.

Neste trecho, já próximo à divisa dos estados, há 3,5 km de trilha na Garganta do Embaú, e essa parte foi sofrível. Ok ok, o lugar é lindo, e os desafios são sempre as partes mais legais, mas só gostei depois que acabou ¬¬', calma, explico o por que:

Primeiro: Em três trechos não consegui subir, estava com medo e o Osama gentilmente passou pra mim, ele ia merecer dois certificados pela façanha, e eu nenhum ¬¬' rsrs

Segundo : Como sei que estava enchendo o saco por ficar pra trás ou vir devagar, me deixaram ir na frente, maaaasss ... em uma das subidas tinha um pedra grande no meio do caminho, ao passar por ela perdi o controle e fui direto pra grama, comprando um belo terreno pra coleção ¬¬' que raiva!!!!

Posso tentar me justificar? Tenho menos de dois meses com a Lander, estou começando o off agora :'/ e já ir pra uma trilha assim...prometo que na próxima vou dar um jeito de me virar e ir num ritmo mais rápido, prometo mesmo :'( e atravessar sozinha :'( aí o certificado será inteiro meu kkkk










Bem, depois que terminamos a trilha, que alívio!!! Mas a paisagem lá de cima fez o esforço valer, que vista incrível *-*


 


Dica de amiga: Para quem não tem tanta experiência (assim como eu) é bom não se aventurar a descer essa trilha, pra subir até vai (mais ou menos né rsrs)... Mas pra quem se aventurar a descer, olhem o lado bom, não dizem que pra descer todo santo ajuda? Então, nessa trilha pode ser até ateu que vai chegar lá em baixo, de um jeito ou de outro rsrs . Tem algumas partes bem íngremes, e que logo após a descida já é algum córrego, as vezes não dando tempo suficiente pra parar caso venha embalado. As pontes/pinguelas não estão em bom estado, e se tiver chovido então... é lama na certa, boa sorte então viu ;-)

O final/começo dela é bem na divisa dos estados de SP e MG, ao lado de uma lanchonete chamada Topo da Serra, e de um mirante dedicado à Nossa Senhora da Conceição.






A partir daí, o caminho voltou a ficar bem tranquilo, neste primeiro dia fomos até São Lourenço. Nos hospedamos na pousada Terra das Águas, a R$ 25, da pra acreditar? E com um ótimo café da manhã \o/ valeu muito a pena!!!

Jantamos também na padaria São Lourenço, bons preços e ótimos pratos, muito bom mesmo, mas acho que nossa fome e cansaço ajudou a gostarmos tanto do lugar rsrs.


 Enfim, primeiro dia desafiador, mas superado \o/  Segue a montagem das fotos e gravações:




O link das fotos é: https://picasaweb.google.com/102582818090024966870/0608DeJulhoEstradaReal?authkey=Gv1sRgCPDN1vjxuuKd-QE


O Osama e o top_dog tbm fizeram montagens com as filmagens, é bem legal ver o ponto de vista de cada um, segue aí tbm \o/

 



Bom demais \o/ logo vem o restante da aventura \o/

Comentários

  1. Muito bom!!! Agora temos que terminar, questao de honra hahaha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo RAlves, questão de HONRA!!!

      E não é só o caminho velho não, algum dia completaremos os 4 caminhos rsrs


      Somos HighLanders ou não somos???? kkkkk

      Bjs

      Excluir
  2. Show Noellen, quem sabe eu me junto numa próxima! Curti

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vlw Radamés, será um prazer, sempre bem vindo ;-)

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita!

Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo.

Mas senta que lá vem história...

No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apresentam…

Uma pessoa especial...

Sou uma motociclista que sempre foi independente, dona de si e que se esforça em realizar os sonhos de estrada, mas tbm sou uma mulher que, junto com as aventuras de ir longe...tbm sonha em ter a cia de alguém especial, que encontre um sorriso ao lado quando acordar em algum hotel por aí, alguém que queira dividir momentos, sonhos, família e muito carinho.

A música abaixo do Paolo representa bem o que eu sentia:

"Quero uma pessoa como eu Que me aceite como eu sou Que precise de carinho e de amor Quero uma pessoa como eu Que aprenda a me escutar Que entenda o que diz o meu olhar Que não fique por ficar Quero alguém afim de viajar no por do sol
Que acenda no meu céu todas as estrelas do prazer
Eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingir Que me de muito valor na hora que eu me entregar
Mas eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingi…

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado

"Se algo pode dar errado, dará!" 
Esta é a famosa lei de Murphy, e é impressionante como se contextualiza em viagens de moto. No nosso Giro não poderia ser diferente, e pra falar a verdade, ela veio a tona dia 15/11 , o dia em que NADA deveria ter dado errado.

Bem, saímos pela manhã do hotel Liporaca, em Rio Gallegos.


O Alfredo estava tbm quase pronto pra sair, mas como ele anda muito e estava com uma BMW fomos na frente, mas não demorou muito para que nos alcançasse.

Nos ajudou muito explicando como proceder na Aduana, pois neste trecho passamos pelo Chile, acredito que menos 300 kms, mas é necessário seguir os procedimentos de entrada e saída do país.

O dia já não começou muito bem quando pedi a caneta emprestada do atendente chileno. Ele emprestou e falou para devolver, ok, mas emprestei pra um dos colegas, que foi passando para outro, e para outro, e depois chegou um ônibus... todo mundo usando... quando fui ser atendida, qual a primeira coisa que o atendente pediu? A …