Pular para o conteúdo principal

Estrada Real - 06 a 08 de Julho - Parte 2

A aventura pela Estrada Real continuou, mas não para todos =/ . Para essa viagem, estávamos em duas Lander's 250cc e uma Super Teneré 750cc, após a trilha mencionada no primeiro dia, a Teneré começou ficar estranha, dando aqueles estalos como se fosse problema com a vela, sabe? Mas era pior...



Como o top_dog manja muito da manutenção da motoca, no domingo de manhã detectou o problema, havia estourado a junta do cabeçote e com isso, foi água do radiador para o motor, e isso não foi nada bom. A água se misturou ao óleo... assustador!!! De manhã, acompanhamos ele no posto pra trocar o óleo, e aí fim da linha para a Super, o jeito foi eles voltarem pra casa, mas a noite ficamos sabendo que chegaram bem :)  (E espero ter explicado o problema corretamente rsrsrs entendo muito de mecânica sabe ¬¬')


O Osama e eu continuamos na Estrada, saímos de São Lourenço já perto da hora do almoço, com o objetivo de chegar até Tiradentes ainda naquele dia. Boa estrada tbm \o/ caminho bem bacana. Por lá tinha placas de ir para São Thomé das Letras via Estrada Real, fiquei com tanta vontade de fugir do roteiro... rsrs







No caminho entre Cruzilha a Carrancas, queríamos ir logo pra dar tempo de pegar a balsa pra São João Del Rei... e eis que o inesperado aconteceu. Bem, pra começar, a estrada depois de Cruzilha tinha muita, muita areia, o que me deixou super receosa, não queria comprar terreno novamente. Depois de uns 5 km's rodados perdi a traseira da moto, não estava conseguindo controlar... no começo achei que o quadro da moto tinha quebrado de vez, o coração gelou...mas o problema era outro: pneu furado. Primeira vez que isso aconteceu comigo, o Osama já estava bem a frente... e eu lá, no meio daquele areião, sozinha e sem saber o que fazer rsrs não, sentar e chorar não é opção pra mim :-P. Fiquei esperando até que o Osama desse a minha falta e voltasse, felizmente ele tinha um reparador de pneu, encheu e foi o suficiente pra que conseguisse voltar a cidade, e aí mais um dilema: Cidade pequena, em pleno domingo...nada de achar borracheiro, o único que atendia sempre não estava em casa =/ sem muitas alternativas a não ser esperar, esperar e esperar. Depois de um bom tempo o Juarez chegou, que alívio, daria pra continuar a viagem ainda naquele dia.


Com câmara nova, voltamos pra estrada, e a tensão do areião voltão, lugar ruim de passar viu ¬¬' deve ter durado uns 8 - 10 km's, felizmente depois a estrada voltou a ficar boa e foi possível andar um pouco mais. Chegamos em Carrancas já no início da noite, logo encontramos uma boa pousada, mas o preço foi mais salgado, R$ 50 pra cada um, mas td bem, com restaurante na própria pousada, wi-fi, piscina... mas só queríamos capotar na cama, que canseira, dia tenso viu.




Depois de tanto perrengue... mais uma decisão, montar um kit sobrevivência urgente, sempre levar um reparador de pneu, um jogo de ferramentas, uma câmara, um par de manete, uma vela, emenda de corrente, óleo para lubrificar corrente... coisas básicas e necessárias, e claro, fazer logo um curso básico de mecânica, aprender a me virar é importante né  =/ mas no fim deu tudo certo, pronta pra próxima \o/

Segue uma breve montagem com algumas das imagens, dia desafiador... mas a superação nos move sempre!!!



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita! Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo. Mas senta que lá vem história... No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apres

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo. Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam. Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes... Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda! Em Puerto Madr

Vlog Rumo aos Sonhos - Episódio 010 e 011 - Um bate papo sobre a Lander

Não é todo dia que encontramos uma moto com quase 270 mil kms rodados, e essa é a atual quilometragem da minha Lander. Peguei a motoca zero km no dia 25/01/2014, meu objetivo era ter uma moto novinha para a primeira viagem para o exterior, o Giro Latino, que já está registrado aqui no blog. Desde então tivemos a chance de percorrer juntas 9 países aqui da América Latina, sem contar a parceria dia a dia nas idas ao trabalho, faculdade e muito mais. Já foram muitos kms de alegria, e fico na expectativa para que venham muito mais! Devido essa alta quilometragem, muitos me perguntam sobre as manutenções que faço, se já fiz o motor...então para esclarecer todas as dúvidas, decidi fazer dois vídeos relacionados. O Episódio 010 respondo a clássica pergunta se já fiz o motor da Lander, e sim, já fiz, com 176 mil kms. Quando tinha 100 mil kms, o eixo da rosca do pinhão espanou e rodei 76 mil kms com o pinhão soldado. Para resolver o problema de uma vez por todas, fizemos o evento do QG da