Pular para o conteúdo principal

26/08 - Treinamento de Pilotagem Defensiva com Carlos Amaral

Ser bom no que faz!!! Esse é o alvo da maioria das pessoas, independente de seus trabalhos, hobbies ou situações. Por exemplo, alguns desejam ser os melhores desenhistas, outros fazem a diferença como instrumentistas, e assim por diante...

O grande campeão Ayrton Senna disse certa vez:

"Creio na habilidade de se focalizar em algo e aí você pode extrair muito mais disso. Foi assim em toda a minha vida.  Foi só uma questão de melhorar essa técnica e aprender mais e mais. É algo que não tem fim. Você sempre encontra novas coisas para aprender. É muito interessante. É fascinante!”

Sim, é fascinante, e melhor ainda quando o foco é uma paixão!!! E foi com esse alvo que no domingo, dia 26/08, tive a chance de fazer o curso de pilotagem defensiva com um grande instrutor, o Carlos Amaral, junto com a galera do MotoTuristas , e valeu a pena ;-)

Primeiro tenho que deixar claro que  novamente enfrentei meu medo de pilotar em São Paulo, pois atravessei sozinha a cidade até chegar em Santo André, onde foi o curso. Passei pela Marginal Tietê e peguei a Av. dos Estados, o caminho é fácil, mas que lugares tensos hein, medo ... receio... insegurança ... sentimentos terríveis, continuo afirmando que prefiro atravessar o Brasil inteiro do que atravessar São Paulo sozinha  =/ mas felizmente deu tudo certo \o/

Voltando a parte do curso... muitos conceitos ouvi pela primeira vez e foram muito interessantes, como por exemplo saber que o limite da moto na curva está justamente na distância da área de segurança do pneu contra o asfalto, e comprovei que algumas deitam muitoooo!!! Até mesmo as custom, o limite delas envolve mais a carenagem pegar no chão do que o pneu em sí, por isso podemos confiar em deitar a moto para melhor estabilidade nas curvas.


Claro que eu jamais chegarei ao que a minha moto proporciona rsrs prudência é sempre bem vinda ;-)



A frenagem dos pneus não está apenas na tração, mas sim no atrito do pneu com o asfalto, como o Alexandre disse, por que é que quando freamos em cima do óleo a moto não para? Justamente pela falta do atrito, então conhecer a capacidade da moto, tanto do freio traseiro quanto dianteiro é extremamente importante.


A história de que não se deve frear em curva é puro mito, claro que o mais indicado é frear ANTES dela, mas caso seja necessário, o principal é o cuidado em não deixar travar as rodas, isso porque o deslocamento da moto irá influenciar consideravelmente na estabilidade da moto e segurança.

Equipamentos de segurança são primordiais, e um que ainda não tive a chance de adquirir é uma bota apropriada. Um tênis comum e um chinelo tem quase o mesmo nível de segurança, isso porque em contato com o solo, o tênis simplesmente sairá do pé, ou pior, a borracha do solado por "travar" no chão, levando o motociclista a torcer o tornozelo contribuindo para graves lesões, o Heberte já tinha me falado sobre isso, e realmente será minha próxima compra.




Depois de tantas informações, hora de colocar as dicas em prática né \o/


Quando se está fazendo uma curva, é importante olhar sempre para o final dela, isso aumenta a visão periférica do espaço e evita que se perca levando a moto para o canteiro. Como nunca tinha ouvido orientações assim antes, percebi que faz toda a diferença, é possível delimitar exatamente o espaço que se tem para a curva, muito mais prático.













Treino, treino e treino...




Como a própria galera do MT falou, é muito útil ter um espaço apropriado com orientações e treino para conhecer a capacidade da moto, mesmo tendo km's e km's na bagagem.







Bem, eu ainda sou medrosa para deitar a moto, mas o resto da galera fez bonito ;-)

Todas as informações foram muito interessantes, o treino, as dicas ... enriquecedoras!!

Foi um prazer enorme conhecer a galera do MotoTuristas pessoalmente, sempre tão gentis no fórum ... e comprovei que são motociclistas espetaculares, a cia de vcs foi incrível  ;-)


E olha só, aluna dedicada hein ;-) agora certificada rsrsrs vamos torcer para que tudo isso continue contribuindo para que eu continue no grupo dos que não caíram,  só preciso lidar melhor com os momentos que faltam perna, até hj ainda não sofri acidente pilotando, só cai uma vez no acostamento manobrando a moto para retornar, e que raiva viu ¬¬'





E agora, mais preparada, é hora de levar o lema adiante: "O mundo é grande demais para se nascer e morrer no mesmo lugar", então vamos que vamos  ;-)



Obs: Obrigada ao Alexandre e ao Kokimoto pela gentileza em me acompanhar por São Paulo, me deixando na Marginal Tietê, não imaginam como isso me ajudou, realmente andar em Sampa é muito tenso.


Vlw galera \o/

Comentários

  1. Noellen, você mandou muito bem! E não só atravessou São Paulo pra chegar em Santo André, teve São Caetano também! (Aposto que você nem percebeu isso! hehehe)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk e não é que é verdade Hugo o.O

      Pronto, agora não apareço por aqueles lados nunca mais rsrsrsr :-P

      tenso...tenso...tenso rsrsrsrs

      vlw \o/

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita!

Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo.

Mas senta que lá vem história...

No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apresentam…

Uma pessoa especial...

Sou uma motociclista que sempre foi independente, dona de si e que se esforça em realizar os sonhos de estrada, mas tbm sou uma mulher que, junto com as aventuras de ir longe...tbm sonha em ter a cia de alguém especial, que encontre um sorriso ao lado quando acordar em algum hotel por aí, alguém que queira dividir momentos, sonhos, família e muito carinho.

A música abaixo do Paolo representa bem o que eu sentia:

"Quero uma pessoa como eu Que me aceite como eu sou Que precise de carinho e de amor Quero uma pessoa como eu Que aprenda a me escutar Que entenda o que diz o meu olhar Que não fique por ficar Quero alguém afim de viajar no por do sol
Que acenda no meu céu todas as estrelas do prazer
Eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingir Que me de muito valor na hora que eu me entregar
Mas eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingi…

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado

"Se algo pode dar errado, dará!" 
Esta é a famosa lei de Murphy, e é impressionante como se contextualiza em viagens de moto. No nosso Giro não poderia ser diferente, e pra falar a verdade, ela veio a tona dia 15/11 , o dia em que NADA deveria ter dado errado.

Bem, saímos pela manhã do hotel Liporaca, em Rio Gallegos.


O Alfredo estava tbm quase pronto pra sair, mas como ele anda muito e estava com uma BMW fomos na frente, mas não demorou muito para que nos alcançasse.

Nos ajudou muito explicando como proceder na Aduana, pois neste trecho passamos pelo Chile, acredito que menos 300 kms, mas é necessário seguir os procedimentos de entrada e saída do país.

O dia já não começou muito bem quando pedi a caneta emprestada do atendente chileno. Ele emprestou e falou para devolver, ok, mas emprestei pra um dos colegas, que foi passando para outro, e para outro, e depois chegou um ônibus... todo mundo usando... quando fui ser atendida, qual a primeira coisa que o atendente pediu? A …