Pular para o conteúdo principal

26/08 - Treinamento de Pilotagem Defensiva com Carlos Amaral

Ser bom no que faz!!! Esse é o alvo da maioria das pessoas, independente de seus trabalhos, hobbies ou situações. Por exemplo, alguns desejam ser os melhores desenhistas, outros fazem a diferença como instrumentistas, e assim por diante...

O grande campeão Ayrton Senna disse certa vez:

"Creio na habilidade de se focalizar em algo e aí você pode extrair muito mais disso. Foi assim em toda a minha vida.  Foi só uma questão de melhorar essa técnica e aprender mais e mais. É algo que não tem fim. Você sempre encontra novas coisas para aprender. É muito interessante. É fascinante!”

Sim, é fascinante, e melhor ainda quando o foco é uma paixão!!! E foi com esse alvo que no domingo, dia 26/08, tive a chance de fazer o curso de pilotagem defensiva com um grande instrutor, o Carlos Amaral, junto com a galera do MotoTuristas , e valeu a pena ;-)

Primeiro tenho que deixar claro que  novamente enfrentei meu medo de pilotar em São Paulo, pois atravessei sozinha a cidade até chegar em Santo André, onde foi o curso. Passei pela Marginal Tietê e peguei a Av. dos Estados, o caminho é fácil, mas que lugares tensos hein, medo ... receio... insegurança ... sentimentos terríveis, continuo afirmando que prefiro atravessar o Brasil inteiro do que atravessar São Paulo sozinha  =/ mas felizmente deu tudo certo \o/

Voltando a parte do curso... muitos conceitos ouvi pela primeira vez e foram muito interessantes, como por exemplo saber que o limite da moto na curva está justamente na distância da área de segurança do pneu contra o asfalto, e comprovei que algumas deitam muitoooo!!! Até mesmo as custom, o limite delas envolve mais a carenagem pegar no chão do que o pneu em sí, por isso podemos confiar em deitar a moto para melhor estabilidade nas curvas.


Claro que eu jamais chegarei ao que a minha moto proporciona rsrs prudência é sempre bem vinda ;-)



A frenagem dos pneus não está apenas na tração, mas sim no atrito do pneu com o asfalto, como o Alexandre disse, por que é que quando freamos em cima do óleo a moto não para? Justamente pela falta do atrito, então conhecer a capacidade da moto, tanto do freio traseiro quanto dianteiro é extremamente importante.


A história de que não se deve frear em curva é puro mito, claro que o mais indicado é frear ANTES dela, mas caso seja necessário, o principal é o cuidado em não deixar travar as rodas, isso porque o deslocamento da moto irá influenciar consideravelmente na estabilidade da moto e segurança.

Equipamentos de segurança são primordiais, e um que ainda não tive a chance de adquirir é uma bota apropriada. Um tênis comum e um chinelo tem quase o mesmo nível de segurança, isso porque em contato com o solo, o tênis simplesmente sairá do pé, ou pior, a borracha do solado por "travar" no chão, levando o motociclista a torcer o tornozelo contribuindo para graves lesões, o Heberte já tinha me falado sobre isso, e realmente será minha próxima compra.




Depois de tantas informações, hora de colocar as dicas em prática né \o/


Quando se está fazendo uma curva, é importante olhar sempre para o final dela, isso aumenta a visão periférica do espaço e evita que se perca levando a moto para o canteiro. Como nunca tinha ouvido orientações assim antes, percebi que faz toda a diferença, é possível delimitar exatamente o espaço que se tem para a curva, muito mais prático.













Treino, treino e treino...




Como a própria galera do MT falou, é muito útil ter um espaço apropriado com orientações e treino para conhecer a capacidade da moto, mesmo tendo km's e km's na bagagem.







Bem, eu ainda sou medrosa para deitar a moto, mas o resto da galera fez bonito ;-)

Todas as informações foram muito interessantes, o treino, as dicas ... enriquecedoras!!

Foi um prazer enorme conhecer a galera do MotoTuristas pessoalmente, sempre tão gentis no fórum ... e comprovei que são motociclistas espetaculares, a cia de vcs foi incrível  ;-)


E olha só, aluna dedicada hein ;-) agora certificada rsrsrs vamos torcer para que tudo isso continue contribuindo para que eu continue no grupo dos que não caíram,  só preciso lidar melhor com os momentos que faltam perna, até hj ainda não sofri acidente pilotando, só cai uma vez no acostamento manobrando a moto para retornar, e que raiva viu ¬¬'





E agora, mais preparada, é hora de levar o lema adiante: "O mundo é grande demais para se nascer e morrer no mesmo lugar", então vamos que vamos  ;-)



Obs: Obrigada ao Alexandre e ao Kokimoto pela gentileza em me acompanhar por São Paulo, me deixando na Marginal Tietê, não imaginam como isso me ajudou, realmente andar em Sampa é muito tenso.


Vlw galera \o/

Comentários

  1. Noellen, você mandou muito bem! E não só atravessou São Paulo pra chegar em Santo André, teve São Caetano também! (Aposto que você nem percebeu isso! hehehe)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkkkkk e não é que é verdade Hugo o.O

      Pronto, agora não apareço por aqueles lados nunca mais rsrsrsr :-P

      tenso...tenso...tenso rsrsrsrs

      vlw \o/

      Excluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita! Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo. Mas senta que lá vem história... No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apres

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo. Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam. Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes... Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda! Em Puerto Madr

Vlog Rumo aos Sonhos - Episódio 010 e 011 - Um bate papo sobre a Lander

Não é todo dia que encontramos uma moto com quase 270 mil kms rodados, e essa é a atual quilometragem da minha Lander. Peguei a motoca zero km no dia 25/01/2014, meu objetivo era ter uma moto novinha para a primeira viagem para o exterior, o Giro Latino, que já está registrado aqui no blog. Desde então tivemos a chance de percorrer juntas 9 países aqui da América Latina, sem contar a parceria dia a dia nas idas ao trabalho, faculdade e muito mais. Já foram muitos kms de alegria, e fico na expectativa para que venham muito mais! Devido essa alta quilometragem, muitos me perguntam sobre as manutenções que faço, se já fiz o motor...então para esclarecer todas as dúvidas, decidi fazer dois vídeos relacionados. O Episódio 010 respondo a clássica pergunta se já fiz o motor da Lander, e sim, já fiz, com 176 mil kms. Quando tinha 100 mil kms, o eixo da rosca do pinhão espanou e rodei 76 mil kms com o pinhão soldado. Para resolver o problema de uma vez por todas, fizemos o evento do QG da