Pular para o conteúdo principal

11/07 - Cumuruxatiba

Um vilarejo de pescadores com pouco mais de 4 mil habitantes no sul da Bahia, um paraíso com um povo lindo que preserva suas belezas naturais, culturais e seus tão preciosos costumes, é assim que tento resumir Cumuruxatiba, um lugar que vale a pena conhecer !!!

Bem, estávamos na expectativa em ir pra Cumuru, e na quarta feira esse foi nosso roteiro. 30 km de terra nos esperavam, mas nada nos faria desistir dessa ideia, e cá entre nós, estou guerreira hein rsrs, e minha Fazer então ... ehhh motoca boa!!!

Passamos por estradas lindas, felizmente as partes retas estavam em bom estado, mesmo encontrando areia muito fofa em alguns pontos, mas deu tudo certo ;-)


Complicado eram os morros, com umas valetas enormes. Notou a parte que eu disse que estou guerreira? Olha aí um dos que tive que enfrentar. Obs: Detesto e tenho um receio danado de andar na terra = /  moto street não combina com isso ... até agora :-P


Engatei a primeira e comecei a descer em ritmo de tartaruga né, num certo momento a roda dianteira caiu em uma das valetas, frear foi inútil, tentar colocar o pé no chão então ... cade o chão? Tem hora que falta perna ¬¬'  , o jeito foi disparar e dar um jeito de chegar até embaixo kkkkk e foi exatamente o que aconteceu, sem freio e morrendo de medo kkkkk


Cheguei no final do morro tremendo pra caramba, o Rodrigo e a Jane me parabenizando, e eu não sabia se ria ou se chorava kkkkkkk .... mas o visual das praias que vimos, fez valer a pena a aventura ... e enfrentar o medo *-*



















Depois de alguns kilometros, já estava até tirando onda :-P




Demoramos pra passar por tudo, mas chegando lá ... ficamos realmente encantados  ... um lugar pequenininho, com ruas de pedregulho, e um  monte de gente nos olhando kkkk diferente, legal né





Encontramos uma praia linda e decidimos ficar por lá, e qual a surpresa ao entrar no quiosque?


Já sabe né, quando tem colete de motociclista  ... é porque tem família por alí, e com certeza seria o máximo, e é realmente o que aconteceu, conhecemos o Véinho, presidente do motoclube Desprezados, de Avaré, que é da região de SP, mas em alguns meses do ano vai pra Cumuru atender o pessoal. Ele nos falou que certa vez levou um rapaz pra ajudá-lo durante um período, o cara gostou tanto que voltou pra SP buscar a esposa e filha e se mudaram pra lá, ele abriu uma oficina de moto e hoje vivem muito bem por lá, e tem como não gostar ? Lugar incrível ...







































Um outro atrativo lá do quiosque do Véinho é alugar moto pra andar na praia. Depois de curtir a praia ... Ahhhh muleque !!!! Acha que eu iria perder a chance de dar uma volta numa NX 200?





Até parece né :-P bom demais fazer uma fumacinha na praia  \o/







Olha o seu Flávio curtindo também, é legal demais !!! \o/ A mão fica até coçando pra comprar uma do tipo e começar a fazer isso mais vezes hein, trilha, praia ... quem sabe *-*





O dia foi perfeito e divertidíssimo, acabamos conhecendo mais motociclistas que apareceram por lá, por sinal, do mesmo MC do Jamanta, atraímos boas cias hein \o/


E o contato do quiosque do Véinho,  recomendadíssimo!!!


A cada descoberta, fica aquela sensação boa de missão cumprida, principalmente por termos tido a determinação de enfrentar tanta coisa afim de realizarmos nosso desejo e objetivo, e é incrível como tudo está valendo a pena!!! As pessoas que conhecemos, os lugares ... ficarão sempre em nosso coração, e o desejo é de realmente voltar sempre a esse paraíso ;-)


Comentários

  1. Ahhhhhh quero voltar!!!! Noellen estou acompanhando vc menina!! Admiro muito sua determinação!! Falo com Rodrigo todos os dias....vamos voltar hoje!!! kkkkkkk Valeu D++++.
    Beijos!! Jane

    ResponderExcluir
  2. Noellen, eu qro voltar praííííííí hahahaha, não to me aguentando aki no Rio, qro a estrada de volta!!! Vai q vai q tamo na torcida por vc daki! Rodrigo

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita!

Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo.

Mas senta que lá vem história...

No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apresentam…

13/11 - De Puerto Pirámides a Caleta Olivia

Durante o planejamento da viagem fiquei bem tranquila, mas na véspera da saída, sinceramente, o receio e o medo do que estava por vir ficaram constantes nos meus pensamentos. Tinha medo de uma viagem tão longa num grupo de 5 pessoas, tinha medo de não atingir nossas expectativas ou de novamente sofrer algum acidente. Medo de possíveis conflitos de relacionamento, personalidade, medo de problemas que pudéssemos ter, medo de a moto não aguentar a viagem e, principalmente, medo de não conseguir realizar esse objetivo.

Havia lido muito sobre o caminho, as adversidades, as dificuldades... cada relato tinha uma característica, e nunca é fácil a superação. Mas justamente deixar os medos pra trás é o que separa as pessoas que sonham das que realizam.

Uma das principais dificuldades do caminho, especificamente, é o vento, mas vamos por partes...

Depois do acidente do Kpot, passamos em Puerto Madryn para comprar outro retrovisor para a Teneré, e aliás, que cidade linda!


Em Puerto Madryn tbm com…

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado

"Se algo pode dar errado, dará!" 
Esta é a famosa lei de Murphy, e é impressionante como se contextualiza em viagens de moto. No nosso Giro não poderia ser diferente, e pra falar a verdade, ela veio a tona dia 15/11 , o dia em que NADA deveria ter dado errado.

Bem, saímos pela manhã do hotel Liporaca, em Rio Gallegos.


O Alfredo estava tbm quase pronto pra sair, mas como ele anda muito e estava com uma BMW fomos na frente, mas não demorou muito para que nos alcançasse.

Nos ajudou muito explicando como proceder na Aduana, pois neste trecho passamos pelo Chile, acredito que menos 300 kms, mas é necessário seguir os procedimentos de entrada e saída do país.

O dia já não começou muito bem quando pedi a caneta emprestada do atendente chileno. Ele emprestou e falou para devolver, ok, mas emprestei pra um dos colegas, que foi passando para outro, e para outro, e depois chegou um ônibus... todo mundo usando... quando fui ser atendida, qual a primeira coisa que o atendente pediu? A …