Pular para o conteúdo principal

Paixão antiga jamais é esquecida ... ZÜNDAPP KS 601 1952

Como estou no clima de histórias, vale a indicação de mais uma.

Hoje, meu amigo Cláudio disse que lembrou de mim ao ver essa notícia:
  1.  obrigada a indicação Cláudio, me encantei pela história ;-)
  2. como é bom ser lembrada dessa forma ... *-* 
Tirei o texto e as imagens do blog, mas vale a pena conferir outros relatos, um prato cheio para amantes de modelos antigos:

"Na postagem de hoje, trago a história de um grande exemplar, para os amantes e apaixonados pelas motocicletas antigas.

O ano era 1968, na cidade de Jaraguá do Sul/SC , o jovem Paulo Roberto Pedri, então com 16 anos de idade, recebe do seu pai , o Sr. Paulino Pedri, uma quantia em dinheiro suficiente para comprar uma motocicleta nova do modelo Honda 90 cc.
 
O jovem Paulo, se dirigiu até a concessionária Honda Baümmer motos, que ficava na cidade de Joinvile/SC.
 
Chegando a concessionária, se deparou com uma Zundapp KS 601 1952, recém restaurada, dentro dos padrões originais de fábrica e com peças originais compradas pelo proprietário na oportunidade que viajou à trabalho para a Alemanha.
 
A motocicleta foi pintada na cor verde original de fábrica, que era conhecida na época como "elefante verde" . Foi amor à primeira vista e Paulo, acabou comprando sem o concentimento do pai, a motocicleta Zündapp. Com o valor que daria para comprar a Honda 90cc,  Paulo pagou a primeira promissória da Zündapp.

Segue logo abaixo meus amigos, algumas fotos do processo de restauração.



Negócio fechado e Paulo saiu com a motocicleta, pela estrada velha, que ligava Joinvile a Jaraguá do Sul.
 
Ao chegar em casa com a motocicleta, o Sr. Paulino, trancou a mesma em um rancho, alegando que ela era muito grande e perigosa para um rapaz de apenas 16 anos de idade, porém após um pouco de insistência o jovem Paulo conseguiu reaver ela.
 
Por volta do ano de 1974, um senhor da cidade de Joinvile, chamado Ditmar, acabou fazendo uma proposta irrecusável pela Zündapp e está acabou sendo vendida. Passado alguns anos o arrependimento de ter vendido a motocicleta Zündapp, bateu à porta e mediante isso, o Sr. Paulo, decidiu procurar a sua jóia rara.
 
Infelizmente não obteve sucesso, pois depois deste tempo não conseguiu encontrar o Sr. Ditmar , que residia na cidade de Joinvile/SC.


Em 1996 o Sr.Paulo, juntamente com a sua esposa, foi participar de um encontro de motos em Balneário Camboriu, pilotando uma Vucan 1500. Andando pelo encontro o Sr. Paulo, deparou-se com uma Zündapp KS 601 1952, com placa de Joinvile/SC. Expantado com a coincidência o Sr. Paulo comentou com a esposa que aquela motocicleta ali era a sua antiga Zündapp, porém ela acabou não dando muita bola, pois achou pouco provável que fosse a mesma. Porém o Sr. Paulo, sempre foi muito detalhista com as suas coisas, e na época em que a motocicleta ainda era sua, gravou o seu nome na chave de contato e também no cubo traseiro da mesma.
 
Até que alguns instantes depois o atual proprietário da motocicleta apareceu, após isso o Sr. Paulo falou que aquela Zündapp havia sido sua. O atual proprietário, não acreditou na história, pois havia ganhado ela do Sr. Ditmar, e disse que ela teria ficado parado por cerca de 15 anos. Para ter certeza, de aquela Zündapp, ali era a mesma que havia lhe pertencido anos atrás, o Sr. Paulo pediu a chave da motocicleta e mostrou que nela estava gravado o seu nome. À partir disso o atual proprietário , conhecido como Zé passou a acreditar que a Zündapp, teria mesmo pertencido ao Sr. Paulo.
 
Do ano de 1996 até o ano de 2004 o Sr. Paulo, entrou em contato, com o proprietário, por cerca de quatro vezes, sempre perguntando se ele não venderia a motocicleta, até que na última tentativa o negócio foi fechado.
 
À partir daí iniciou-se o processo de restauração da Zündapp KS 601 1952, que em nada lembrava a antigamente conhecida " elefante verde " , pois estava pintada na cor preta.
Após longos anos de separação o reencontro.


Ínicio do processo de restauração, a volta do " elefante verde " .

Zündapp KS 601 1952 - O  " elefante verde " , toma forma.


 Linda história né, ameeeeeiiii!!!

Amor antigo é assim mesmo ... inesquecível !!!


Créditos: http://showroomimagensdopassado.blogspot.com.br/2011/01/showroom-antigomotociclismo.html

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita!

Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo.

Mas senta que lá vem história...

No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apresentam…

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado

"Se algo pode dar errado, dará!" 
Esta é a famosa lei de Murphy, e é impressionante como se contextualiza em viagens de moto. No nosso Giro não poderia ser diferente, e pra falar a verdade, ela veio a tona dia 15/11 , o dia em que NADA deveria ter dado errado.

Bem, saímos pela manhã do hotel Liporaca, em Rio Gallegos.


O Alfredo estava tbm quase pronto pra sair, mas como ele anda muito e estava com uma BMW fomos na frente, mas não demorou muito para que nos alcançasse.

Nos ajudou muito explicando como proceder na Aduana, pois neste trecho passamos pelo Chile, acredito que menos 300 kms, mas é necessário seguir os procedimentos de entrada e saída do país.

O dia já não começou muito bem quando pedi a caneta emprestada do atendente chileno. Ele emprestou e falou para devolver, ok, mas emprestei pra um dos colegas, que foi passando para outro, e para outro, e depois chegou um ônibus... todo mundo usando... quando fui ser atendida, qual a primeira coisa que o atendente pediu? A …

14/11 - De Caleta Olivia a Rio Gallegos

Amigos se reconhecem! Já escrevi esta frase aqui no blog dezenas de vezes, mas a cada dia tenho mais certeza que essas palavras são reais, vamos lá... que nosso objetivo está cada vez mais perto!!

A partir de Comodoro Rivadavia diminuiu um pouquinho (em alguns trechos) as retas intermináveis da Ruta 3 e pegamos trechos lindos beirando o mar.



E neste trecho realmente começamos a sentir o frio pra valer.
E olha aí... até o Tux já pegou a rota para Ushuaia rsrs

Num posto de gasolina conhecemos  o Alfredo Paz, um motociclista que mora em Ushuaia. Ele nos deu muitas dicas do caminho e inclusive recomendou o hotel que ficaria em Rio Gallegos, explicando certinho como chegar lá... bacana né \o/

Numa breve parada no meio do nada...


Desafiamos o vento rsrs e saímos perdendo rsrs

Nos posts anteriores mostramos como realmente o vento é forte, e se vc colocar a moto a favor do vento... ela cai rsrs e o Boni... sempre o Boni... quis tirar a prova kkkk, deu no que deu :-P

Felizmente não estrago…