Pular para o conteúdo principal

Túnel do tempo ... Porto Ferreira

Não me considero uma pessoa com raízes, minha família sempre mudou bastante e por isso acabei não criando vínculo com nenhum lugar, brinco as vezes que somos uma estatística, afinal já passamos por 5 cidades, estudei em 9 escolas, morei em 8 casas ... e já estou no meu 5º emprego, não, não somos ciganos/nômades/malucos, só vamos tentando sobreviver mesmo.

Esse final de semana me deu uma vontade danada de voltar a Porto Ferreira, cidade que morei entre meus 8 e 11 anos. É engraçada essa sensação porque desde que saí de lá, nunca mais tive nem vontade e nem oportunidade de voltar, mesmo tendo ótimas recordações, mas como apareceu o interesse, é por o pneu na estrada e matar essa saudade.

Hoje acordei cedo, e lá pelas 7:15 hs já estava pegando meu rumo, enchi o tanque, calibrei os pneus, dei uma lubrificada na corrente ... tudo pronto pra partir.

A Anhanguera estava muito tranquila, e o dia maravilhoso!! A ida foi incrível, até Limeira não acho o caminho bonito, tudo muito urbanizado, então só parei num posto Graal depois de uns 120km rodados, mas depois ... da a impressão que até os postos são diferentes, tudo muito mais bonito. Pode ser só nostalgia ... mas proporciona um sentimento tão bom!!!

Achei incrível esse painél para motociclistas, muito legal!


E olha quem já passou por lá \o/



Não concorda que é muito mais bonito?


Como disse, a Anhanguera estava realmente muito tranquila, o asfalto é ótimo, então sem reclamações, só elogios mesmo.


Como sou meio estranha, não comi nada no Graal, preferi passar por um lugar mais simples, e achei um bem tranquilo, com um pão de queijo bom demais.


É interessante que durante todo o dia muitas coisas voltaram a minha mente, a memória andou funcionando legal rsrs lembro por exemplo dos longos caminhos com plantação de cana, milho ou eucalipto por todo lado ... e continua igualzinho!



Pelo caminho que peguei, já saí - sem querer querendo hehe - no meu antigo bairro, não sabia que chegaria lá, mas já reconheci de imediato, também ... morava em frente o cemitério, impossível não me localizar rsrs

Morei primeiro nessa casa ...


e brinquei muito nessa rua. Era taco, patins, bicicleta ... o dia todo!! Tá, de vez em quando eu ia brincar de boneca também rsrs, mas só de vez em quando.


Aqui era uma padaria que despertou em mim um lado .... digamos, criminoso rsrs nessa época eu falsificava a assinatura dos meus pais pra comprar coisas e levar na escola acredita? Claro que meus pais sabiam, mas eu enganava direitinho a balconista kkkk por um bom tempo rsrs Que pilantra! rsrs


Estudei nessa escola, na 3ª e 4ª série...


E depois nessa na 5ª ...


Essa foi a segunda casa que morei, tinha um quintal bem grande, como era bom!!! E o vizinho ao lado já estava construindo a parte de cima da casa .... e continua kkkk . Nessa casa começamos nossa fábrica de bolsas, depois com o negócio das molduras de gesso, e certeza que teve mais algumas tentativas de trabalho nesse período rsrs mão na massa desde pequenininha.


Essa jaqueira não era cercada, e é uma árvore tão linda, subi muito nela, e comemos muitos frutos também, era tudo livre!!


Meu pai trabalhou na Imporpel, e como sempre fomos muito amigos e a empresa era perto de casa, as vezes eu dizia pra minha mãe que ía buscar meu pai ... era um sarro, todo mundo achava graça e ficava admirado, poucos pais e filhos tem um boa relação.


Como nerd desde criança, até a biblioteca foi especial pra mim, lembro perfeitamente como era, e dos muitos livros da série vagalume que eu pegava, eram os meus favoritos.


Logo ao lado é o museu, que pena que estava fechado, tbm era um dos meus destinos constantes, gostava de olhar a árvore do pau brasil, era a que mais me chamava a atenção.


Indo em direção ao centro, tudo continua muito parecido. É engraçado que ao passar nas ruas, muita coisa eu lembrava onde era o caminho, nem parece que faz 14 anos que saímos de lá.

A praça da matriz foi importante para nós, meu pais tinham um carrinho de lanche e toda noite íam pra praça, muitas dessas noites, principalmente no final de semana, eu ia ajudar também, mas pra mim era divertido, mais que uma obrigação.


E quando enjoava de trabalhar, ía brincar no "escorregador" em frente a igreja. Na época parecia tão grande ... como as coisas mudaram !








Também tivemos um trailer de lanche, e ficava exatamente nessa esquina, os clientes sentavam no muro do banco ... incrível.




Na rua de baixo é a antiga estação ferroviária, e é onde ainda tem alguns eventos, hoje é um centro cultural, dei uma passada lá tbm, e estava tendo um show de moda de viola, e acho que estava ao vivo para uma rádio ... coisa mais chique viu :-D kkk



Como Porto Ferreira é a cidade da cerâmica, nada como ir conferir algumas lojas :-D Cada coisa mais linda e divertida!!



Uma variedade enorme...



Haja esforço pra colocar no baú todos os presentes!!!


Próximo destino foi o rio Mogi Guaçu, quando meus parentes nos visitavam sempre íamos lá, e continua lindo!! Mas na época não tinha toda essa estrutura e entrada legal, era só o rio mesmo rsrs



Algumas pessoas podem achar besteira, mas como é bom ainda ver um rio com vida, é algo que infelizmente não faz mais parte do meu cotidiano.







Por lá só me decepcionei com uma coisa: Quando pedi um suco de laranja, não era bem esse "Nativo" que eu tinha em mente ... aaarrrrgggg trem ruim!!!


Infelizmente me lembro de poucas pessoas de lá, até gostaria de rever alguns, mas dificilmente os reconheceria. Então acabei ficando sozinha mesmo, ... desses sim dão saudade !!!

Depois de ficar um bom tempo observando o rio, deu vontade de ir em Descalvado, uma cidadezinha pequenininha ao lado, que eu nunca tinha ido, como é muito pequenininha, não ví muita coisa por lá, mas valeu a pena da mesma forma.


Ainda bem que eles avisam quando chega no centro da cidade, alguém poderia duvidar ... rsrsrs


Sinceridade o/


Lá pelas 15:30 hs peguei o caminho de volta, só aumentei um pouco o número de paradas, já estava ficando cansada. Uma parada pra comprar queijo, outra pra chupar sorvete, outra pra ir no banheiro, outra pra abastecer .... e assim vai kkk. Em Limeira, por uns 10 km peguei uma chuva bem forte, o que fez meu celular ir pro espaço novamente ¬¬' tomara que ele volte ¬¬' . Não tinha nenhum lugar em que eu pudesse parar e por a capa, o jeito foi ficar encharcada mesmo, mas não tem problema, teve todo o caminho restante pra secar, e minha viseira ficou limpinha *-*  ;-)

Bem, resumindo, o dia foi uma delícia, buscar coisas novas é sempre bom, mas lembrar momentos que já passaram também são importantes para nosso crescimento. Lembro de todos os lugares e pessoas com muito carinho, e espero também não ter sido esquecida.

Ahh, e foram 430 km rodados maravilhosamente :-D

Comentários

  1. Pq vc insiste em levar essa bolsa gigante no bau?
    A carteira e uma bolsinha pequena ja num resolvia?

    ResponderExcluir
  2. João, um homem nunca vai entender a importância de uma bolsa feminina

    "Bolsa de mulher tem sempre o básico: batom, carteira, lápis preto, desodorante, óculos escuros, a chave de casa, a chave do carro, o celular, um livro, o remedinho para cólica, alicate de unha, lencinhos, um creme, uma base, escova de cabelo... Guarda-chuva, se bobear um pára-quedas, uma metralhadora...

    A bolsa para cada mulher é um mundinho, onde ela se esconde, onde ela se acha, onde o homem se perde.

    Serve para guardar os imprevistos, achar circunstâncias, esconder medos, tem espaço para todas as máscaras, e todas as solidões anotadas na agenda.

    Se empilhar bem, cabe vários mundos, uma estante cheia de livros e um tempo pequeno"


    ;-) ... e coube td direitinho no baú, nada que o jeito feminino não resolva ;-)



    fonte da prosa: http://www.luso-poemas.net/modules/news/article.php?storyid=185699

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

A primeira de muitas - Ponta Grossa, Curitiba e Antonina - 07 a 11 de Julho

Como diz Fernando Pessoa, "a vida é o que fazemos dela", e para viajantes, a fazemos muito mais bonita!

Assim foram os dias 07 a 11 de Julho, onde o Cassiano e eu percorremos as estradas de São Paulo e Paraná. Certa vez li que uma viagem vem para nos tornar conhecedores de si mesmos e sinceros nas atitudes, e essa viagem veio pra solidificar ainda mais nosso sentimento, proporcionar conhecer ainda mais um ao outro, sentir nossa alegria em estar junto e dar a certeza que desejamos muitos e muitos kms de alegria, as vezes cada um com sua moto...as vezes os dois em uma moto...de ônibus...a pé...não importa, o que vale é estarmos sempre cheios de expectativas e abertos para as novas experiências que estão surgindo.

Mas senta que lá vem história...

No dia 7 saí de Jundiaí e fui encontrá-lo em Capão Bonito, de lá seguimos pra Ponta Grossa, nosso primeiro destino. Nosso objetivo por lá era conhecer a Abadia da Ressurreição, um mosteiro muito bonito cujos monges belamente apresentam…

Uma pessoa especial...

Sou uma motociclista que sempre foi independente, dona de si e que se esforça em realizar os sonhos de estrada, mas tbm sou uma mulher que, junto com as aventuras de ir longe...tbm sonha em ter a cia de alguém especial, que encontre um sorriso ao lado quando acordar em algum hotel por aí, alguém que queira dividir momentos, sonhos, família e muito carinho.

A música abaixo do Paolo representa bem o que eu sentia:

"Quero uma pessoa como eu Que me aceite como eu sou Que precise de carinho e de amor Quero uma pessoa como eu Que aprenda a me escutar Que entenda o que diz o meu olhar Que não fique por ficar Quero alguém afim de viajar no por do sol
Que acenda no meu céu todas as estrelas do prazer
Eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingir Que me de muito valor na hora que eu me entregar
Mas eu só quero alguém pra me seguir Pra chorar e pra sorrir, aonde eu for Que não goste de mentir, que não saiba nem fingi…

15/11 - O dia que as coisas não saíram como o planejado

"Se algo pode dar errado, dará!" 
Esta é a famosa lei de Murphy, e é impressionante como se contextualiza em viagens de moto. No nosso Giro não poderia ser diferente, e pra falar a verdade, ela veio a tona dia 15/11 , o dia em que NADA deveria ter dado errado.

Bem, saímos pela manhã do hotel Liporaca, em Rio Gallegos.


O Alfredo estava tbm quase pronto pra sair, mas como ele anda muito e estava com uma BMW fomos na frente, mas não demorou muito para que nos alcançasse.

Nos ajudou muito explicando como proceder na Aduana, pois neste trecho passamos pelo Chile, acredito que menos 300 kms, mas é necessário seguir os procedimentos de entrada e saída do país.

O dia já não começou muito bem quando pedi a caneta emprestada do atendente chileno. Ele emprestou e falou para devolver, ok, mas emprestei pra um dos colegas, que foi passando para outro, e para outro, e depois chegou um ônibus... todo mundo usando... quando fui ser atendida, qual a primeira coisa que o atendente pediu? A …